Flávio Gomes

13 de agosto de 2015

O impeachment que interessa

De Mario Vitor Rodrigues, escritor: “Não são poucas as pessoas de boa cepa empolgadas com a perspectiva de ver Dilma impedida. O sentimento é genuíno, jamais defenderei o contrário, mas ainda me provoca constrangimentos… Espero que Dilma não seja impedida pensando no tabuleiro, mas, que fique claro, encontradas provas que justifiquem a medida – contas reprovadas, por exemplo -, não existirá outra solução. Se o impeachment não pode ser encarado como uma alternativa, tampouco descumprir a lei pode ser solução. Mas não duvidem, a prisão de José Dirceu foi muito mais dolorosa e decisiva para o jogo político do que o impeachment seria, ou será. Assim como o encarceramento de Lula, mesmo que seja apenas por alguns dias, ou nem isso, uma simples visita demorada à Polícia Federal, significaria o aniquilamento total e definitivo do PT como força política. Deveria ser esse o foco da oposição, assim como o de todos os brasileiros avessos ao manquitola esquerdismo petista, preocupar-se com o impedimento do PT, e não de sua descartável e já moribunda fantoche. Que dia 16, tendo em mente o grotesco programa petista na televisão, especialmente a chacota às manifestações democráticas alegremente interpretada por José de Abreu, a massa faça ainda mais bonito do que no emocionante panelaço. Que vocifere contra o PT e contra Lula, exigindo em coro sua prisão e sem dar a menor pelota para o oportunismo de partidos escorregadios ou candidatos histriônicos. Este é o meu desejo para o próximo domingo. Quanto ao resto, deixo nas mãos de Moro.”

Quem manda

Nem Dilma Rousseff, nem o vice Michel Temer, nem o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, terceiro na linha sucessória presidencial. A figura poderosa da República agora atende pelo nome de José Renan Vasconcelos Calheiros, presidente do Senado Federal. Até quando, as circunstâncias políticas e econômicas dirão.

 

Mudança

O alagoano Maurício Melo Júnior, contemporâneo de faculdade de Renan Calheiros, tem comunicado aos amigos que aceitou convite para ser chefe de gabinete do Senado Federal. Passa a substituir outro conterrâneo, Vinícius Nobre Lages, que ocupa o cargo desde que foi exonerado do Ministério do Turismo, onde fazia bom trabalho.

 

Porém

O ato de domingo próximo, pelo impeachment de Dilma Rousseff, está pouco divulgado em Alagoas. O que se sabe é que haverá manifestações em Maceió e Arapiraca. Outro problema: a anunciada participação do PSDB, partidarizando o movimento, inibe o engajamento de quem não suporta nem com petistas nem com tucanos.

 

Angústia

O governo estadual precisa dar publicidade à Lei Delegada, para explicar seus efeitos. O texto legal, publicado no Diário Oficial, por si só não explica tudo, pior ainda para quem é menos esclarecido. Exemplo: causa apreensão, dentre os servidores comissionados, a notícia de que todos serão exonerados em 1º de setembro e muitos não voltarão.

 

Novo cenário

Uma das principais construtoras alagoanas sofreu, há dois anos, para contratar pedreiros e ajudantes. Por falta de mão-de-obra, teve de adiar o lançamento de dois prédios. Agora, por conta da crise econômica, a situação se inverteu. A demanda diminuiu, investimentos rarearam e a empresa teve de demitir, semana passada, 80 empregados.

Problema

A situação é, realmente, preocupante, em consequência da retração da economia. Nos bairros de Maceió mercadinhos e outros pequenos pontos comerciais estão fechando ou diminuindo a quantidade de empregados. A preocupação de especialistas é uma só: para onde vai esse povo, sem emprego e sem salário, na luta pela sobrevivência?

Opinião

Do jurista Carlos Ayres Brito, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal: “É exigido do chefe do Executivo que seja um estadista, um governante e um administrador. Quando falha nas três, a coisa fica delicada. E parece que é a situação da Dilma. Já não se reconhece nela nenhuma das três qualidades. O desafio dela é se reinventar”.

 

*Foi sepultado ontem, em Maribondo, sua terra natal, aos 65 anos de idade, o radialista, jornalista e escritor José Jurandir, que também foi vereador no seu município. José Jurandir atuou em diversos veículos de comunicação e dirigiu a Rádio Difusora.

* De hoje até domingo o filé, referência principal do artesanato alagoano, participa da 27ª Craft Design, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo. O Instituto Bordado Filé da Região das Lagoas (Inbordal) ocupará espaço dois estandes da feira.

*Já estão disponíveis novos exemplares da obra “Métodos de Investigação do Subsolo”, dos professores Abel Galindo, Juliane Marques e Ricardo Figueiredo. Produzido pela Edufal, o livro contém planos de investigação por diferentes tipos de sondagem.

* O Festival Dosol 2015 estará em Maceió nos dias 05, 15 e 22 de novembro, trazendo shows para o Orákulo, na Praça do Rayol, em Jaraguá. Baseado em Natal, Rio Grande do Norte, aqui em Alagoas o evento será produzido pelo Popfuzz e pelo Alagou.

* O Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas continua alertando que o pagamento da Taxa de Bombeiros 2015 ainda poderá ser feito até 31 de agosto, sem encargos. Com isso, a instituição visa diminuir a inadimplência no pagamento da taxa, que é obrigatório.

* O CRB voltou a atuar bem, jogou de igual para igual com o Sampaio Correia, em São Luiz, mas teve a infelicidade de sofrer um gol indefensável, na fase final do segundo tempo. Sábado próximo, 16h30m, no Trapichão, recebe o Criciúma, bem colocado.

 

“O Brasil não está dividido. Está quase todo contra o governo.”

José Serra

Senador do PSDB-SP