Flávio Gomes

12 de agosto de 2015

Aos amigos petistas

De Nelson Mota, em “O Globo”: “Nunca perdi um amigo por causa de política. Tenho vários amigos petistas que merecem meu afeto e respeito, alguns até minha admiração, e convivemos bem porque quase nunca falamos de política, talvez por termos assuntos mais interessantes a conversar. Mas agora o assunto é inevitável. E eles estão mais decepcionados do que eu. Também tenho amigos tucanos, comunistas, conservadores, não meço a qualidade das pessoas pelo seu time, religião ou suas crenças políticas, em que sonhos, idealismo e equívocos se misturam com ambição, desonestidade e incompetência para provocar monstruosas perdas de vidas, dignidade e dinheiro ao coitado do povo que todos eles dizem amar.  O PT está caindo aos pedaços, depois de 13 anos no poder, com grandes conquistas e imensos desastres, mas a perspectiva de ser governado pelo PMDB ou pelo PSDB não é animadora… Se não fosse tão arrogante e autoritária, Dilma mereceria pena, porque não é desonesta, mas é mentirosa e sua incompetência nos dá mais prejuízos do que a corrupção. Suas falas tortuosas são a expressão da sua confusão mental. E se Lula não fosse tão vaidoso e ambicioso, tão irresponsável e inescrupuloso, não teria jogado a sua história na lama por achar que está acima do bem e do mal e que nunca descobririam que ele sempre soube de tudo. Petistas inteligentes e informados sabem que o sonho acabou, game over, zé fini, não por uma conspiração da CIA, dos coxinhas ou da imprensa golpista, mas pelos seus próprios erros, pelo baixo nível e alta voracidade dos seus quadros, pela ganância e incompetência que nos levaram ao lodaçal onde chafurdamos. É triste, amigos petistas, o sonho virou pesadelo, mas não foi a direita que venceu, foi o partido que se perdeu. O medo está dando de 7 a 1 na esperança.”

Como antigamente

Renan Calheiros, presidente do Congresso Nacional, é, de novo, um aliado de Dilma Rousseff. Ele, até pouco tempo crítico do governo, assumiu compromisso de impedir o impeachment da presidente no Senado Federal. É a retribuição ao apoio prometido pelo governo federal a Renan Filho, com obras e recursos para administrar Alagoas.

Efeito

Na nova peregrinação que faz em Brasília o governador Renan Filho certamente será bem melhor recebido, após Renan, pai, fazer as pazes com o Palácio do Planalto. Uma das agendas de hoje é para tratar, no Ministério dos Transportes, de uma das obras urgentes para Maceió: o viaduto previsto para o trevo da Polícia Rodoviária, no Tabuleiro.

Ajustando

Por conta da reaproximação Dilma-Renan, a Presidente da República deverá trazer notícias positivas, em relação a Alagoas, quando vier ao Estado, na sua programação de viagens Brasil afora tentando melhorar sua imagem. A ideia é ela assinar, aqui, ordem de serviço para pelo menos uma obra de relevância, dentre as que estão pleiteadas.

Em alta

Além de Marco Fireman, indicado pelo senador Benedito de Lira para a presidência da CBTU, outro alagoano consegue espaço no governo federal, no esforço de Dilma Rousseff em salvar o mandato, abrindo-se aos aliados: Napoleão Casado, ex-secretário de Recursos Hídricos de Téo Vilela, é agora um dos diretores da Codevasf, em Brasília.

Braskem

A Braskem Idesa, joint venture responsável pelo maior investimento na petroquímica da América Latina recentemente, tem 95% das obras concluídas no complexo petroquímico, localizado no estado de Vera Cruz, México. A previsão é que até o final deste ano entre em funcionamento. O investimento total é de cerca de US$ 5,2 bilhões.

Participação

Edílson Brasileiro, vice-presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de Alagoas, foi empossado membro do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social como representante da sua instituição. Além dele, o Creci/AL tem também no CONEDES o seu presidente, Vilmar Pinto, recentemente reeleito para novo mandato.

Quem diria…

Da ex guerrilheira Dilma Rousseff a senadores aliados: “Cristina Kirchner sempre me diz que os governos militares brasileiros sempre foram mais responsáveis que os militares argentinos, que só destruíram a democracia na Argentina, sem deixar um legado econômico. Os militares brasileiros tiveram essa preocupação com a parte econômica, a preocupação com a estabilização tributária foi instituída no tempo dos militares”.

 

* Não ganhou repercussão alguma o artefato caseiro jogado na calçada do Instituto Lula, em São Paulo. Certamente pelas características de ser uma armação para desviar a atenção para os malfeitos na Petrobras. Petistas, só eles, dizem que foi “atentado político”.

*A orquestra Gafieira Cai Dentro apresenta hoje o espetáculo “A Volta da Gafieira”, às 19h30m, no Teatro Deodoro, pelo projeto “Teatro Deodoro é o Maior Barato”. O show rememora os salões de dança populares e homenageia o saudoso Juvenal Lopes.

*O Sebrae em Alagoas, em parceria com a AMA, faz hoje, em sua unidade de Arapiraca, a última etapa do curso de elaboração “Como captar recursos para o município’, para gestores públicos, com o consultor Rômulo Rende, especialista em gestão estratégica.

*Com o tema “A partir das ruas, simplifica Brasil”, o 27º Congresso da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) acontece, desde ontem e até amanhã, em Brasília. De Alagoas participam 14 empresários, com apoio do Sebrae.

* Atletas da equipe Sandro Melo Jiu-Jitsu Team conquistaram 14 medalhas de ouro, 6 de prata e 5 de bronze, trazendo também para Alagoas a quarta colocação no I Interestadual de Jiu-jitsu, realizado na cidade de Aracaju, no último domingo.

 

“A publicidade do processo é o preço que se paga por se viver em uma democracia. É uma garantia à sociedade, principalmente em casos de crimes contra a administração pública.”

Sérgio Moro

Juiz Federal