Flávio Gomes

9 de agosto de 2015

Sucessão ou secessão?

Do jornalista Carlos Chagas, no site “Diário do Poder”: “Não há hipótese de Executivo e Legislativo continuarem em conflito até o fim do ano. Nem até o fim do mês, quanto mais ao final dos mandatos de seus titulares, daqui a três anos e cinco meses. Muito antes disso o país estará posto em frangalhos, com um Poder engolindo o outro como na velha piada em que de noite um cidadão colocou dois grilos numa caixa de fósforos , imaginando que na manhã seguinte estaria vazia, já que um comeria o outro. Ignora-se apenas que segmento nacional restará por último, depois da canibalização dos demais. Militares? Igreja Católica e Igrejas Pentecostais? Empresariado ou centrais sindicais? Crime organizado, com os traficantes à frente? Agronegócio ou latifúndio? Ministério Público, Judiciário ou Polícia Federal? Multinacionais ou intelectualidade universitária? Quem quiser que opine, mas pela primeira vez desde a chegada dos portugueses, com breve e limitado interregno dos holandeses, a unidade nacional encontra-se em xeque. Para sorte nossa, jamais tivemos governadores tão medíocres e incompetentes, caso contrário a secessão estaria na rua, muito antes da sucessão. A Federação faz tempo tornou-se uma ficção, na medida da fraqueza dos Estados, mas como a União se esfacela, sobrará o quê? Um aglomerado de forças incapazes de atuar em uníssono. No máximo, cada município se tornará independente, com moeda própria, passaporte e forças armadas. O triste nessa história de horror é não haver saída nem milagres. Desapareceram os salvadores da pátria, que só conturbariam o processo se aparecessem agora. Sequer sobrou o Lula, última das desesperanças a mergulhar nas profundezas. Das promessas imaginadas e imaginárias, ninguém emerge.”

Cautela

O governo estadual até que tem dinheiro para aumentar um pouco mais a proposta de reajuste do funcionalismo – 5%, em três parcelas. Porém, em tempos de crise braba e incerteza quanto ao futuro do Brasil, inclusive no que diz respeito à economia, é prudente manter um caixa mínimo. É a opção de Renan Filho.

A conferir

A propósito, há fortes possibilidades de o governo estadual modificar o cronograma de pagamento do funcionalismo público. A partir de setembro, a última faixa, que recebe os salários no dia 10, passaria a receber no dia 15. Outra questão polêmica: o reajuste de salários não deverá incluir os cargos em comissão, inclusive secretários.

Agenda

Amanhã, às 8h30m, no Hotel Maceió Mar, o prefeito Rui Palmeira recebe a bancada federal para debater como viabilizar projetos do interesse da cidade de Maceió. Pelo clima político em Brasília, de indefinição, e pelo desestímulo dos deputados, pois Dilma demora em cumprir compromissos, a expectativa não é muito boa.

Palanque

Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, vem a Maceió na próxima 6ª, 14, como a principal atração da posse do ex-governador Téo Vilela como presidente do partido em Alagoas. E sua condição de maior liderança da oposição certamente atrairá os holofotes da mídia política, pois, dois dias depois, haverá protesto nacional contra o governo

Ideia

O deputado federal Paulão (PT/AL) fez a proposta de encontro de contas entre dívidas do Grupo João Lyra junto à União para desapropriar as terras em questão, para fins de reforma agrária. “A área das usinas soma 30 mil hectares, está ociosa e pode ser usada pelas famílias que precisam produzir e garantir seu sustento”, diz o parlamentar.

Ansiedade

Fernando Baiano, um dos operadores das falcatruas na Petrobras e preso na Operação Lava a Jato, é, na verdade, alagoano. Daí ter gente graúda da política caeté preocupada com a decisão dele de fazer delação premiada. Que, como se sabe, é a revelação de detalhes de crimes, comprovada, em troca da diminuição da pena.

Opinião

Do jornalista Luís Nassif: “O que segura o governo são as dúvidas sobre o dia seguinte a uma eventual saída de Dilma, as consequências políticas, econômicas e sociais, os efeitos sobre a economia e sobre as manifestações de rua. Uma estratégia de governabilidade exigiria um pacto cuja montagem é muito complexa para o núcleo estratégico da presidência. Mas a falta de ação de Dilma paralisa tudo.”

 

* Padre Fábio de Melo faz hoje show beneficente no Papódromo, no Vergel do Lago, com canções do último CD, “Solo Sagrado”. Às 18 horas, antes do show, a imagem jubilar de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, chegará ao Papódromo.

*A cantora, compositora e instrumentista Maria Gadú, descendente de franceses nascida em São Paulo, é focalizada hoje no programa “Aplauso”, na Educativa FM, das 10 horas ao meio-dia. Com pesquisa, texto e roteiro musical de Gialdo Kleber.

*Pela primeira vez, Atalaia recebe a Oficina Sebrae de Empreendedorismo, criada com o intuito de despertar a conscientização pelo empreendedorismo através de consultorias, palestras e dinâmicas em grupo. De amanhã a 6ª feira, no Clube Social Atalaiense.

 

* O XIX Festival Estudantil de Teatro de Alagoas, iniciativa do Sindicato dos Artistas e Técnicos, com apoio da secretaria estadual da Cultura, recebe inscrições até amanhã. O evento é para estudantes do fundamental, médio e superior, cursos técnicos e livres.

*Um domingo de atrações, com direito a música e atividades especiais, acontece hoje, por conta do Dia dos Pais, no Parque Shopping Maceió. Às 14 horas, se apresenta a cantora Fernanda Guimarães; às 17 horas, missa de celebração ao Dia dos Pais.

*A Secretaria Municipal de Assistência Social prorrogou para o dia 14 as inscrições para o I Concurso de Boas Práticas na Assistência Social de Maceió. Pretende com isso dar um incremento ao Sistema Único de Assistência Social. Contato: 3315-6127/ 5057.

 

*O Coruripe tem hoje uma tarefa difícil pela Série D do Campeonato Brasileiro: pega o Serra Talhada, às 16 horas, no interior pernambucano, precisando de uma vitória. O time alagoano tem três pontos ganhos, de empates seguidos, dois deles em casa.

 

“O governo Dilma está com jeito de que chegou ao fim”

Ricardo Noblat

Jornalista, em seu blog