Edmilson Teixeira

5 de agosto de 2015

Paripueira / Barra

O duelo na disputa pela Prefeitura de Paripueira está a todo vapor. Abrahão Moura o atual gestor está investindo na candidatura de seu vice, Haroldo  Nascimento que vai se confrontar com Simony Farias (filha do prefeito da Barra de Santo Antônio-Rogério Farias). Ao que parece, a  presença da garota nesse jogo eleitoral provocou um impacto político na cidade, que provavelmente tenha sido esse, o motivo da desistência do vereador Alexandre, atual presidente da Câmara, para se afastar  como vice de uma chapa formada com  Haroldo, conforme planos de Abrahão. “O Alexandre preferiu ir para a reeleição, a arriscar uma candidatura  sem perspectiva de prosperar”, comentou uma fonte.  Como detalhe; Abrahão Moura está lançado a mulher como candidata a prefeita da Barra de Santo Antônio, aonde lá se confrontará com Rogério Farias.  

Manifesto

A humilhação que os municípios brasileiros têm passado com o PT no comando do governo federal, desta vez extrapolou fronteiras, sobretudo do não cumprimento de um acordo para que em junho desse ano fosse repassado um acréscimo de meio por cento sobre a receita do FPM, o que não aconteceu, quando só foi dado a metade do prometido. Por essa, e tantas outras questões de falta de compromisso que não foram horadas, é que nesta quarta-feira, prefeitos  e vereadores de todo país, vão participar de um manifesto nacional em Brasília. O plano é pressionar os parlamentares;  que também são outras desgraças que fingem que tudo anda bem!

Manifesto – presença  

A AMA vai marcar presença nesse manifesto, cujo presidente da entidade, Marcelo Beltrão é também dirigente da  Confederação Nacional dos Municípios, órgão que está articulando o evento. Diz a CNM que com o apoio das entidades estaduais, divulgará a Carta Municipalista  ao Congresso Nacional e à Presidência da República. O documento traz os motivos pelos quais o movimento decidiu se mobilizar mais uma vez na capital federal.

 

Buraco

 

A CNM relata que os municípios esgotaram completamente seus recursos e querem evitar que a família brasileira venha a sofrer ainda mais, em razão da ausência da União e dos Estados na transferência de recursos que servem para manter o equilíbrio financeiro desta Federação. Um grande número prefeitos já discute a devolução da maioria dos 390 programas do governo federal, com valores que não são reajustados há anos. O motivo é a absoluta incapacidade de mantê-los. Na maioria dos casos, o governo transfere o ônus, mas esquece do bônus, isto é, a fonte necessária para custear as ações previstas.

 

 

São Luís de Quitunde

“São Luís do Quitunde, sua história e sua gente”. Esse é o título do livro lançado  na noite do sábado que passou pelo padre Alex Sandro Silva, durante evento que ocorreu   na escola Adevan Verçosa e Silva. A obra tem 280 páginas e ficará à venda  na secretaria da Paróquia de São Luís e também na Cúria, em Maceió. Padre Alex é pároco da paróquia de Maragogi, mas é natural de São Luís do Quitunde e conta que a obra foi escrita há 15 anos, mas só agora foi possível publicar. Pena que justamente nessa vagância de 15 anos, o município deteve a pior safra de políticos comandando a Prefeitura, fatos que não estão contidos do livro do padre Alex. 

São Luís de Quitunde – conteúdo

Fruto de uma pesquisa aprofundada pelo padre Alex Sandro Silva, o livro terá mil exemplares impressos inicialmente e retrata os povos que colonizaram São Luís do Quitunde  a partir do período colonial. A cidade foi originada de uma pequena aldeia indígena dos banguês, descoberta em 1624 pelo holandês Albert Sourth. As fontes utilizadas para a confecção do livro, segundo o autor foram: arquivo da Arquidiocese do Estado (Cúria Metropolitana); jornais; livros; Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas (IHGAL). “Comecei com a pesquisa com ‘Terra de Alagoas, de Marroquim, entre outros”, destaca.

Novidade eleitoral  

 

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou, projeto de lei, de autoria do deputado Arthur Lira (PP/AL), que assegura o fornecimento gratuito de transporte coletivo, municipal, metropolitano e intermunicipal a eleitores de baixa renda, residentes nas zonas urbanas e rural em dias de eleição, plebiscito e referendo.

 

Argumento

 

De acordo com Arthur Lira, a medida estar a serviço da democracia e reveste-se de grande alcance social. “Trata-se de providência salutar, haja vista que são recorrentes os casos de candidatos e demais interessados que financiam o transporte de eleitores em troca de voto, nos dias de votação dos pleitos eleitorais e das consultas populares”, justifica o deputado alagoano. A proposta ainda será analisada pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Em seguida, seguirá para o plenário da Câmara dos Deputados onde será votada por todos os parlamentares.

 

Campo Alegre

Durante a manhã de ontem, dezenas de produtores rurais do município participaram  de um momento  que marcou o início da  primeira colheita do feijão plantado através do programa Barriga Cheia. O evento aconteceu na região da fazenda Santa Justina e contou com uma grande feijoada feita para comemorar os resultados positivos do programa. O “Barriga Cheia” foi implantado  em Campo Alegre, por meio de uma   parceria entre Prefeitura, Estado e Usina Porto Rico.

 

Capela

O prefeito Eustaquinho Moreira tem acompanhado com frequência os trabalhos de recuperação das estradas vicinais do município. Em ações integradas, tanto a Secretaria de Infraestrutura como também a de Agricultura e do Meio Ambientes, estão realizando várias atividades nas comunidades rurais, principalmente no tocante à restauração das estradas que cortam os povoados.

 

Novidade

A Câmara dos Deputados começa a analisa o projeto de lei, de autoria do deputado Goulart (PSD-SP), que garante o fornecimento de uniforme (incluindo os calçados) e de material escolar completo ( como lápis, borracha, caneta e caderno) para os alunos da Educação Básica de Ensino. O projeto altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que hoje prevê a garantia ao estudante, de material didático-escolar, transporte, alimentação e assistência à saúde.