4 de agosto de 2015

Hérnias

 

Hérnia é o escape parcial ou total de uma ou mais estrutura por um orifício que se abre por má formação ou enfraquecimento.

São vários os tipos de hérnias: inguinal, epigástrica, umbilical, de hiato, muscular, de disco, incisional, diafragmática, etc.

As mais conhecidas são as inguinais e as de disco.

Não existem causas muito definidas das hérnias. Esforço ao erguer peso, prisão de ventre, tosse crônica, enfraquecimento dos tecidos, etc.

O fato é que para as inguinais a idade pesa mais do que para as de disco.

As inguinais podem ser direta, indireta ou mista. Necessitam quase sempre cirurgia reparadora. Algumas com uso de tela de proteção.

As de disco são tratadas mais clinicamente, conservadoramente. Podendo ser operadas se os sintomas de falta de força e sensibilidade são importantes.

O diagnóstico das hérnias inguinais, para um cirurgião experiente, é clinico e por palpação. O exame de ultrassom é de grande valia. Mesmo sendo importante o exame clinico na hérnia discal a ressonância magnética é o padrão ouro.

A cirurgia para hérnia inguinal pode ser a tradicional principalmente para a colocação da tela de proteção, porém pode ser feita também por vídeo laparoscopia.

Já a hérnia discal tem aspectos interessantes, pois podem ser guiadas por vídeo sem abertura só com uso de cateter. Fazendo-se uma queimação do núcleo pulposo que se expôs.

O pós-operatório cada vez mais simples e facilitando a vida dos pacientes. Podem aparecer intercorrências que não são nem chamadas de complicações, como a equimose dos órgãos genitais masculinos e/ou femininos, na inguinal. Na de disco os sintomas de falta de força, dor e déficit de sensibilidade podem demorar um pouco mais dependendo do tempo transcorrido entre os sintomas e o tratamento.