Blog do Dresch

31 de julho de 2015

Temer aponta o diálogo como solução

                   O diálogo é a palavra de ordem defendida pelo vice-presidente da Republica, Michel Temer (PMDB) para ser posta em prática entre o Executivo e o Legislativo. Para ele as propostas de interesse do país devem ser aprovadas no Congresso Nacional “porque os deputados são capazes de verificar o que pode prejudicar o país e o que pode ajudar” disse ele. Ele defendeu o diálogo como ponto fundamental inclusive com o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que há poucos dias anunciou o rompimento pessoal com o governo.

Temer aposta no diálogo 2

                   Temer disse confiar nos parlamentares e não crê na chamada “pauta bomba” de que andam falando. “A regra geral é que o Congresso, quando legisla, ajuda o país. Não é ajudar o governo. Nosso compromisso é muito mais com o país do que exatamente apenas com o governo. Você apoia o governo quando esta com teses boas para o país. Tenho certeza que o Congresso examinará com muito cuidado as teses que forem apresentadas. Se forem onerosas para o país, de maneira que o país não possa suportá-las, certamente rejeitará. É preciso espirito público, especialmente. Tenho certeza que o Congresso tem” finalizou o vice-presidente.

Anistia denuncia Israel

                   Um novo relatório divulgado pela Anistia Internacional sobre a guerra entre Israel e o Hamas, em 2014, denuncia que os israelenses mataram 135 pessoas em poucos dias, entre as quais 75 crianças, o que caracteriza crimes de guerra e contra a Humanidade. O bombardeio na cidade de Rafah aconteceu entre 1º e 4º de Agosto, em uma ofensiva do Exército de Israel após o sequestro e morte de um oficial. Segundo a Anistia, o tenente Hadar Goldin, que liderava um grupo de soldados israelenses, foi emboscado por militantes do Hamas, sequestrado e assassinado um dia depois. Ao tomar conhecimento da morte do oficial, o exército de Israel iniciou uma ofensiva à região de Rafah com ataques aéreos considerados desordenados que destruíram inúmeras residências, matando civis, principalmente crianças, na tentativa de destruir esconderijos e túneis de militantes do Hamas. Israel considerou o relatório da Anistia “fundamentalmente falho em suas metodologias, descrição dos fatos, análise legal e conclusões”. O governo de Israel afirmou ainda que já investiga os ocorridos em Rafah no período, e que “conduz todas as operações de acordo com as leis internacionais”. Em outro relatório da Anistia tanto Israel quanto o Hamas foram severamente criticados por violações de guerra e provocar mortes desnecessárias. Nos 50 dias de conflito, 2.200 palestinos foram mortos, sendo 1.400 civis. Do lado israelense foram mortas 73 pessoas.

 

Assunto nas redes

                   O assunto mais mencionado nas redes sociais de todo o país é a segurança, superando outros temas como educação e saúde. Este foi o resultado de um monitoramento que é feito diariamente pela Diretoria de Análises de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas. O estudo foi apresentado esta semana no 9º Encontro Brasileiro de Segurança Pública, no Rio de Janeiro. O estudo revelou que os crimes de roubo e homicídio são os mais mencionados pelos internautas de cinco estados e Distrito Federal.

Assunto nas redes 2

                   No inicio de 2014, as citações à segurança pública, estavam em média, abaixo das 40 mil por dia, passando á frente do tema educação, que ocupava o segundo lugar. No fim de Junho, o tema segurança superou as 60 mil menções médias diárias. A pesquisa leva em conta apenas posts públicos de perfis em redes sociais como Twitter e Facebook. A pesquisa da FGV mostrou ainda que as palavras educação, escola e governo estão entre as mais relacionadas à segurança, uma vez que a associação é recorrente tanto entre os que defendem o aumento da repressão ao crime, quanto aos que preferem soluções alternativas.

Diretrizes da educação

                   No inicio das atividades do segundo semestre na Assembleia Legislativa, os deputados de Alagoas discutirão o Plano estadual de Educação, que estabelece as diretrizes para o segmento educacional do estado para a próxima década. O documento foi discutido com a sociedade alagoana e em especial com os setores que fazem a educação no estado. “Com ele podemos superar as desigualdades educacionais com ênfase na promoção da cidadania, na erradicação de todas as formas de discriminação, na melhoria da qualidade da educação e na valorização dos profissionais da educação” afirmou o governador Renan Filho na proposta encaminhada ao Legislativo.

Diretrizes da educação 2

                   De um modo geral, o Plano Estadual de Educação prevê a erradicação do analfabetismo, a universalização do atendimento escolar e a promoção do princípio da gestão democrática da educação pública. O documento contempla cerca de 20 metas, entre elas a ampliação da oferta da educação infantil através de creches. Também dispõe do atendimento educacional especializado, voltado a jovens portadores de deficiência, ou habilidades extras e até superdotação. Também trata do processo de implantação da educação integral nas escolas e a busca pelo aumento da escolaridade média, tendo como objetivo chegar a 12 anos de estudo no último ano de vigência do plano (2025).

 

 

  • O policiamento ostensivo na capital e interior recebe hoje 50 motocicletas para reforçar o trabalho de combate à criminalidade.
  • As motos serão entregues pelo governador Renan Filho e pelo secretário de Defesa Social e Ressocialização, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, ás 9h30 na Base Comunitária do bairro do Jacintinho.
  • Das cinquenta motos, 40 serão destinadas á Rádio Patrulha, seis para o Batalhão de Trânsito e quatro para o 11º Batalhão da PM localizado em Penedo.
  • Termina hoje a Semana de Audiências Temáticas que discute o Plano Municipal de Educação, que envolve especialistas da área educacional que aprofundam o debate sobre as políticas públicas para a educação no município.
  • Hoje, o encontro acontece no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e discutirá a Educação para Igualdade das Relações Étnico-raciais, no primeiro horário.
  • No período da tarde será discutido o tema Educação para Igualdade das Relações de Gênero e Diversidade Sexual.