22 de julho de 2015

Indicações para o tratamento por ondas de choque.

 

Desde abril de 2004 realizo tratamento por ondas de choque nos pacientes de Natal, João Pessoa, Recife, Aracajú, Caruaru e Maceió.

As ondas de choque são ondas sonoras que possuem poderes de analgesia, neogênese vascular, desinflamação e fragmentação de calcificações. São produzidas por diversos aparelhos. Podem ser focadas e desfocadas. As radiais ou pneumáticas são desfocadas. As eletro hidráulicas e piezo elétricas são focadas.

Hoje em todos os estados brasileiros temos vários médicos ortopedistas, reumatologistas, neurologistas, fisiatras e médicos veterinários (em animais de pequeno e grande porte), realizando tratamento com as referidas ondas.

Todos necessitam ter experiência em ortopedia e nas várias especialidades que são certificados. Fazer curso de certificação em ondas de choque para poderem realizar os tratamentos.

Porém. Sempre existe um porém. Alguns querem inventar a roda. Ora! A roda já foi inventada faz muito tempo! Daí utilizam as ondas de choque para qualquer patologia ou para patologia que “ele” acha que dá resultado. Não é assim.

Passei todo esse tempo lutando para firmar o novo tratamento. Para que o tratamento tenha credibilidade e seja aceito pelos clientes/pacientes e pela coletividade médica. Hoje o tratamento por ondas de choque já tem evidencia “A” pela comunidade científica.

Então as indicações são precisas. Não se pode inventar moda e sair indicando o tratamento açodadamente. Criando expectativa para o paciente que agora vai ficar curado. Quando o resultado não será bom.

Recentemente uma paciente com ruptura do manguito rotador fez o tratamento por ondas de choque em serviço diverso e o resultado foi o pior possível. Persiste a ruptura, pois as ondas não cicatrizam as lesões.

As ondas de choque são indicadas em entesopatias com ou sem calcificação, no ombro, cotovelo, quadril, joelho, tornozelo e pé. São usadas também nos retardos de consolidação ou pseudoartrose. Ponto! Existem outras indicações em andamento, porém sem terem comprovação científica ainda. E com certeza ruptura de tendão do manguito rotador não tem estudo e não está indicado!