Blog do Dresch

12 de julho de 2015

Eleição de Reitor será em Setembro

                   A Comissão Central Eleitoral da Universidade Federal de Alagoas, responsável pela condução do processo para a escolha do novo Reitor da instituição, definiu o próximo dia 2 de Setembro para consulta junto à comunidade universitária. Três chapas estão na disputa no processo sucessório da Reitoria da Ufal: a chapa 1, encabeçada pelos professores Valéria Correia e José Vieira; chapa 2, formada por Raquel Rocha e Zé Carlos; e chapa 3, com Márcio Barbosa e Eliane Cavalcanti.

Eleição para Reitor 2

         A escolha sucessória vai envolver mais de 30 mil pessoas da comunidade universitária, formada por estudantes, docentes e funcionários técnico-administrativos. A disputa vai acontecer no campus A.C. Simões em Maceió, também em Arapiraca e Delmiro Gouveia. Caso houver necessidade de um segundo turno, a nova data será dia 9 do mesmo mês. A data marcada anteriormente era 2 de Julho, mas foi adiada em função da paralisação dos servidores técnicos da Universidade.

Crise afeta a todos

                   A crise econômica atinge a 88% dos brasileiros e já chega a sua vida pessoal, provocando algumas mudanças nos hábitos de consumo, cortes nos gastos e a procura por novas fontes de renda. Essas conclusões foram obtidas em uma pesquisa realizada pelo Instituto Data Popular, especializado em hábitos de consumo das classes C, D e E em cinco países da América Latina. O objetivo da pesquisa foi descobrir como os latino-americanos estão enfrentando as dificuldades econômicas. Foram entrevistas 2.644 pessoas no Brasil, na Argentina, no México, no Chile e no Uruguai, representantes de todas as classes sociais. O levantamento foi apresentado na última quinta feira, durante o XIV Encontro de Jornalistas latino-americanos, promovido pelo Santander. Ao menos oito em cada dez latinos mudaram seus hábitos de consumo para enfrentar a crise. No Brasil, 88% disseram ter mudado seu comportamento para reduzir gastos. 90% dos brasileiros ouvidos disseram ter economizado nas contas de casa; 84% reduziram as compras do supermercado e 84% cortaram gastos com lazer. Os brasileiros ainda são os que mais pechincham na hora da compra (78%) seguidos pelos mexicanos (59%). No Brasil, 72% preferem fazer suas compras a prazo, e 42% afirmaram terem deixado de pagar uma conta para poder pagar outra. Toda a América Latina passa por um momento ruim, mais os mais pessimistas são os mexicanos (69% dos entrevistados) e os argentinos (60%). Os brasileiros aparecem em terceiro com 55% destacando o mau momento da economia.

O Globo e a ditadura

                   Lançado na última semana, o livro “Golpe de Estado” dos jornalistas Palmério Dória e Mylton Severiano, traz um relato importante sobre o papel dos grandes jornais do país quando da Revolução de 1964, especialmente o comportamento desempenhado pelo O Globo do Rio de Janeiro. Os autores, que já nos brindaram com “Honoráveis Bandidos” e “O Príncipe da Privataria” mostram a posição da então grande imprensa no golpe militar que derrubou João “Jango” Goulart, especialmente o jornal da família Marinho, que publicou, uma semana após o golpe, os nomes daqueles que “haviam trabalhado pela implantação de um regime comunista no Brasil”.

O Globo e a ditadura 2

                   A reportagem, que ocupou quase uma pagina inteira, trazia um texto com um manifesto da Fundação do Comando dos Trabalhadores Intelectuais (CTI), sendo que o Globo assinalava abaixo do título: “Esse é o manifesto do chamado Comando, que trabalhou ativamente pela implantação do regime comunista no Brasil. Republicando-o agora, chamamos atenção do Comando Militar para os nomes que o assinaram”. O manifesto havia sido lançado em 7 de Outubro de 1963, assinado pelo crítico de cinema Alex Viany, o critico literário Álvaro Lins; jornalista Barbosa Lima Sobrinho, pelo dramaturgo Dias Gomes.

O Globo e a ditadura 3

                   E ainda pelo escritor Edson Carneiro, pelo editor Ênio Silveira, escritor Jorge Amado, romancista Cavalcanti Proença, poeta e escritor Moacir Félix, historiador Nelson Werneck, arquiteto Oscar Niemeyer, juiz e jornalista Osny Duarte Pereira e outros 221 membros fundadores da CTI, totalizando 223 intelectuais que O Globo indicava ao alto Comando militar. Segundo o editor Luiz Fernando Emediato, da Geração Editorial que publica o livro “a corrupção foi sempre a palavra de ordem dos golpistas dos anos 50 para derrubar Getúlio Vargas, e, aliada à ameaça comunista, nos anos 60, para seduzir os militantes fiéis aos norte-americanos. A palavra voltou agora, quando se pretende destruir um partido, o PT”.

Plano Safra em Alagoas

                   O Banco do Brasil anunciou aportes na ordem de R$ 170 milhões para financiamento do Plano Safra no Estado no período 2015/2016. As linhas de crédito atenderão a agricultura familiar, o médio agricultor e ainda a agricultura empresarial. O valor disponível é 14,1% maior do que o liberado na safra passada. De acordo com o BB, o valor destinado à agricultura familiar nesta safra será de R$ 96 milhões (na safra passada foram R$86 milhões). O médio produtor alagoano terá á sua disposição R$ 36 milhões contra R$ 31 milhões liberados na safra passada, enquanto que para a agricultura empresarial o valor disponibilizado passou de R$ 30 milhões para R$ 38 milhões. Ao todo foram R$ 91 milhões para custeio e comercialização e R$ 79 milhões para investimento no setor produtivo de Alagoas.

 

  • Técnicos da Secretaria de Estado da Educação já iniciaram a elaboração do projeto de construção da nova sede no Cepa, onde, desde 2012 esta instalada a pasta.
  • No local onde funcionava a antiga sede, que teve parte da construção demolida esta semana, deverá funcionar um centro profissionalizante, que abrigará cursos profissionalizantes do Sistema S (Sesc, Senac, Sesi etc.) e a formação básica de jovens e adultos da Secretaria.
  • A construção de um novo prédio no Cepa terá um custo menor do que a reforma da antiga sede, representando uma economia de aproximadamente R$ 500 mil aos cofres estaduais.
  • O projeto do novo prédio já foi iniciado, e fará parte de uma grande ação de revitalização de toda a estrutura física do Cepa, segundo assegurou o coordenador de Infraestrutura da secretaria, Djaci Magalhães.
  • Os engenheiros da Secretaria igualmente iniciaram elaboração do projeto de construção do centro profissionalizante no terreno da antiga sede.