Blog do Dresch

27 de junho de 2015

ALE quer votar LDO antes do recesso

                  O presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas, deputado Luiz Dantas, afirmou que pretende colocar em votação, antes do recesso parlamentar, o projeto que estabelece a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2016. Isso significa que a votação deve acontecer nesta terça feira, dia 30, a não ser que os deputados atrasem o inicio do recesso, marcado para 1º de Julho a 4 de Agosto. O projeto foi bastante discutido na audiência pública realizada na última quinta feira (25), e acredita-se que as propostas apresentadas pelos deputados e pela sociedade civil já podem ser incluídas no projeto a ser votado na próxima sessão, caso contrario o recesso parlamentar pode ser atrasado mais alguns dias.

Agenda do futuro

                   A partir desta terça feira (30) quando os presidentes Barack Obama e Dilma Rousseff se encontrarem em Washington, o tema central da discussão será o futuro da relação entre os dois países, deixando para trás a crise gerada pela espionagem. Constarão da pauta o combate à mudança climática do planeta e a tentativa em dobrar o comércio bilateral nos próximos dez anos. O encontro prevê ainda acordos de comércio, defesa, educação e ciência e tecnologia. A questão global interessa mais aos americanos, uma vez que Obama pretende pressionar outros países a assumirem compromissos na conferência sobre o clima em Dezembro. Os EUA querem que o Brasil anuncie metas de redução de emissão de gases, pelo menos até o final do ano. Alguns especialistas na questão ambiental consideram essa uma oportunidade para os dois países mostrarem a liderança global nesta área. O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em entrevista concedida esta semana disse que “o convite de Obama reflete o compromisso de consolidar o enorme potencial da parceria entre os dois países”. De acordo com nota da Casa Branca, Biden “enfatizou a importância de trabalhar com o Brasil e outros parceiros para produzir um acordo robusto sobre o clima em Dezembro”, além de ressaltar a relevância econômica da facilitação de viagens entre os dois países. Deve constar ainda da pauta do encontro, a aproximação entre EUA e Cuba e a situação política da Venezuela.


A cocaína no Brasil

                   Enquanto que o consumo de cocaína no mundo mostra uma tendência á diminuir, no Brasil a situação é inversa e o país tem se transformado em um dos melhores mercados para a venda da droga. O país tem uma prevalência que supera os Estados Unidos e atinge mais de quatro vezes a média mundial. Os dados foram divulgados ontem pelo Escritório de Drogas e Crimes da Organização das Nações Unidas (UNODC, na sigla em inglês). Outro dado importante é que o Brasil passou a ser o maior centro de distribuição de cocaína do mundo da última década, citado em 56 países como local de trânsito da droga. Segundo a ONU, a produção de coca no mundo parece ter atingido seu ponto mais baixo desde 1990. O informe também aponta para uma contração nos mercados dos Estados Unidos e da Europa.

A cocaína no Brasil 2

                   Mas é o consumo da cocaína na América do Sul que mais preocupa alertou a ONU. A taxa de prevalência da droga passou de 0,7% da população em 2010 (cerca de 1,8 milhão de usuários), para 1,2% em 2012 (com 3,3 milhões de pessoas). As taxas de consumo na América do Sul são três vezes a média mundial e parte do aumento teria ocorrido por causa da ampliação do mercado do Chile e da Costa Rica. Mas o aumento do consumo na região é liderado pelo Brasil. Apesar de não existir uma pesquisa recente no Brasil, calcula-se por pesquisas com estudantes universitários que a prevalência do uso de cocaína no Brasil atinja 1,75% da população adulta do país.

Paisagens bordadas

                   Uma coleção de bordados que mescla o trabalho artesanal e a divulgação de paisagens e vivências, foi lançada na última quinta feira na cidade de Penedo, pela Associação das Bordadeiras Pontos e Contos. Os bordados elaborados por 35 profissionais refletem a cultura ribeirinha do São Francisco e também da caatinga. Os trabalhos foram feitos em saias, vestidos, blusas e saídas de praia, que encantam pela criatividade e pelo talento das bordadeiras.

Os direitos da mulher

                   Os progressos obtidos pelo Brasil nos direitos das mulheres mereceram elogios da diretora regional da Organização das Nações Unidas (ONU) Mulheres para Américas e o Caribe, Luiza Carvalho. Ela disse que o país precisa continuar avançando em politicas voltadas para a população feminina. “Precisamos continuar avançando. Não podemos perder o que já conseguimos. Temos que preservar os avanços, sem retrocessos”. Luiza Carvalho fez uma palestra em Brasília sobre “O Progresso das Mulheres no Mundo”, com base em um estudo da ONU sobre economia e direitos das mulheres.

Os direitos da mulher 2

                   Sobre a situação das mulheres nos países da região da América do Sul, ela disse que muitos governos associaram politicas e aumento do poder aquisitivo das famílias, o que teve impacto positivo nas mulheres; “Como essas políticas foram para promover equidade e diminuir a pobreza, as mulheres foram beneficiadas diretamente porque elas estão concentradas nos níveis de pobreza e é onde esta a maior concentração de desigualdade como mulheres negras e indígenas”. Para ela, é preciso investir ainda mais em outras áreas como a geração de empregos. “Tem que ter geração de emprego, geração e facilitação e promoção do acesso das mulheres a outros recursos como crédito, terra e educação”, finalizou a representante da ONU.

 

  • Com o aumento da intensidade das chuvas em Alagoas nos últimos dias, A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos aumentou o monitoramento de algumas áreas de risco da capital e também em algumas bacias hidrográficas do Estado.
  • A Comissão de Defesa Civil tem acompanhado a situação de algumas áreas de Maceió, mantendo inclusive serviços de prontidão para qualquer eventualidade.
  • Em termos de bacias hidrográficas houve um acompanhamento do aumento do nível das águas do Rio Jacuípe, na região norte, que teve uma elevação de 2 metros e 80 centímetros m 48 horas, mas que não causou danos.
  • Também mereceram atenção especial as bacias dos rios Mundaú e Paraíba que foram os maiores responsáveis pelas inundações registradas em 2010, com grandes danos materiais e humanos.
  • O monitoramento permite uma resposta imediata a qualquer alteração de grande porte no nível destes cursos d’água.
  • Já a Defesa Civil faz o controle nas encostas e barreiras da capital, áreas mais propícias para acontecer desastres em função das chuvas.