Blog do Dresch

26 de junho de 2015

Os 80 anos da morte do Rei do Tango

                   Admiradores do tango argentino e historiadores musicais, além, é claro de fãs pós-mortem, registraram (na última quarta feira) a passagem dos 80 anos do acidente aéreo que calou a maior voz do tango: Carlos Gardel. Ele voltava à Argentina após uma turnê em Hollywood, onde fez a divulgação da estreia do seu último trabalho: o filme “El dia em que me quieras”. O acidente aconteceu logo após o avião decolar de uma escala no aeroporto de Medelín, na Colômbia. A notícia percorreu o mundo, com ampla cobertura dos jornais, evidenciando a dimensão da perda de um dos mais populares fenômenos artísticos da sua época. Uma multidão incalculável de fãs acompanhou seu funeral pelas ruas de Buenos Ayres, realizado com honras nacionais, sob um grande pesar.

80 anos sem Gardel 2

                   Carlos Gardel nasceu na França, mas aos 3 anos a família mudou-se para a Argentina. Ingressou no meio musical cantando nos cabarés dos bairros pobres e marginais dos subúrbios de Buenos Ayres. Ao se apresentar em um teatro ganhou o reconhecimento da elite portenha. Foi o maior expoente do tango e levou o estilo musical ao prestígio internacional. Além da voz, ele preenchia os requisitos de galã da época, o que o levou a experimentar também o cinema, graças à fama que também obteve na Europa. Gardel imortalizou sua voz em discos que foram vendidos em quantidades inacreditáveis para os padrões da época. Dono de uma carreira intensa deixou mais de 700 gravações. Estrelou vários filmes, produzidos nos primeiros anos do cinema falado. Seus sucessos permanecem até hoje, tanto quanto o mito. Morreu no auge da fama.

 

Rótulos mais explicativos

                   A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou por unanimidade da sua diretoria, a resolução que trata da rotulagem obrigatória dos principais alimentos que causam alergias. A partir de agora os rótulos devem informar a existência de 18 alimentos considerados alergênicos: trigo (centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas) crustáceos, ovos, peixes, amendoim, soja, leite de todos os mamíferos, amêndoa, avelã, castanha de caju, castanha do Pará, macadâmia, nozes, pecã, pistache, pinoli, castanhas e látex natural. A regra prevê ainda que as informações nos rótulos dos produtos derivados desses alimentos sejam as seguintes: Alérgicos: contém (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares); Alérgicos: contém derivados de (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares). Segundo a Anvisa, nos casos em que não for possível garantir a ausência de contaminação cruzada de alimentos (presença de qualquer alérgeno alimentar não adicionado intencionalmente) o rótulo também deve apresentar o alerta da possibilidade de causar alergias. Os fabricantes terão agora um prazo de doze meses para adequar as embalagens. Os produtos fabricados até o final do prazo de adequação poderão ser comercializados até que termine o prazo de validade.

 

Inovações na imprensa

                   A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) realiza em Miami (EUA), a Conferência Hemisférica SIP Connect 2015, que debate desde quarta feira estratégias de mudança no setor, inovação, audiência, redes sociais e atividades de e-commerce. Dos debates participam executivos de alguns dos principais países da América, buscando maior aproximação entre as redes digitais da América Latina, EUA e Caribe. As palestras versam, sobre as novas tendências do mercado digital, novos conhecimentos e cases bem sucedidos.

Inovações na Imprensa 2

                   Segundo o lema do encontro “o desafio da imprensa não é introduzir ajustes e correções. É entender que o mundo é outro. E o que se exige é que o negócio seja mudado até a raiz”. Dos debates participam editores, designers e técnicos do mundo digital, além de profissionais de jornais como ABC Color (do Paraguai), El Comércio (Peru), El Tiempo (Colômbia), Panorama (Venezuela), El Dia (Argentina) além de veículos de comunicação de México, El Salvador, Panamá e República Dominicana.

Superlotação de menores

                   No Brasil existe superlotação nas unidades de adolescentes em conflito com a lei em 17 estados. Em todo o Brasil o sistema oferta 18.072 vagas, mas abriga 21.823 internos. No Maranhão, por exemplo, a superlotação supera os 800%. Os dados são de um estudo elaborado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Em 2013, foram registradas fugas em 133 das unidades inspecionadas pelo Ministério Público, com a evasão de 1.569 adolescentes (7,2% do total). Em 2014 até Setembro, ouve evasões em 142 unidades, num total de 1.739 internos. Além disso, nos 27 estados, 19 deles têm de 50% a 100% das entidades em condições insalubres.

Superlotação de menores 2

                   O estudo apontou ainda que em relação às unidades de semiliberdade, não há, de um modo geral, superlotação, considerado o contexto estadual. Há excesso em Alagoas (135,7%), Maranhão (109%) e Pernambuco (114,3%); São Paulo e Goiás encontram-se no limite, com cerca de 100%. Essas informações foram obtidas por promotores de Justiça de todo o país, em inspeções realizadas em 2013 e 2014, em 85,9% das unidades de internação e de semiliberdade para adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas. As fiscalizações pelo MP estão previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente.

 

 

  • As chuvas que vem caindo em Alagoas nos últimos dias, não foram suficientes para reverter o cenário de dificuldades enfrentado por municípios que sofrem com a estiagem.
  • Por isso mesmo o Governo de Alagoas publicou decreto ontem no Diário Oficial do Estado, declarando estado de emergência em 38 municípios alagoanos.
  • O decreto considera os impactos causados na economia da região, principalmente nos setores da agricultura e da agropecuária, e o comprometimento dos recursos hídricos.
  • Com o decreto os municípios podem receber recursos com mais rapidez do governo federal e serem incluídos nos programas emergenciais de abastecimento de água através de carros pipas e de construção de cisternas, mini-adutoras e outras soluções rápidas.
  • A situação de emergência nos 38 municípios foi decretada com base no parecer técnico da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, e foi assinado pelo governador Renan Filho.