Blog do Dresch

18 de junho de 2015

Jô rebate criticas sobre entrevista

                   O apresentador da Rede Globo, Jô Soares rebateu as criticas que recebeu pelas redes sociais pela entrevista realizada com a Presidente Dilma Rousseff. Ele falou sobre os comentários sobre o teor da conversa: “Não era um debate. Era uma entrevista. Não me cabia rebater a Presidente a cada momento. Fiz as perguntas que precisavam ser feitas”, afirmou o apresentador. A entrevista com a presidente acabou sendo um “trending topic” (foi um dos assuntos mais comentados no Twitter). Jô afirmou que estava muito satisfeito com a entrevista e também com a repercussão “não teve nem panelaço”.

Jô rebate criticas 2

                   Jô Soares ainda ironizou a oposição: “Como escreveu o Otávio Martins (ator) no Facebbok: esse pessoal é capaz de querer a recontagem dos gols da Alemanha”. Segundo ele “o artista não pode ter uma posição politica no sentido intelectual. Tem que ser um anarquista. Intelectualmente, eu sou um anarquista”. Ele ainda voltou a contestar novamente o golpismo contra Dilma: “Ela é a presidente da República. Ela foi eleita. Ela não é um técnico de futebol. O país esta dividido, mas não é por isso que vou deixar de entrevistar a presidente”. Jô Soares entrevistou a Presidente por 69 minutos na noite da última sexta feira.

Projetos de iniciativa popular

                   A Câmara dos Deputados aprovou, com a concordância de todo os partidos, a redução do numero de assinaturas para propostas de iniciativa popular. Isso vai facilitar o surgimento de projetos como o que criou a Lei da Ficha Limpa. A emenda foi aprovada por 433 votos e sete votos contra além de duas abstenções. A partir de agora os projetos deverão ter um mínimo de 500 mil assinaturas (antes eram 1,4 milhão) em nove estados, com pelo menos o apoio de 0,1% de eleitores em cada um. Antes era 1%. Na mesma votação tambem foi aprovada a obrigatoriedade do voto impresso na urna eletrônica. Nas últimas eleições houve questionamentos por parte de alguns eleitores sobre a confiabilidade das urnas eletrônicas, o que gerou inclusive uma auditoria do TSE. A emenda estabeleceu que agora, após o voto eletrônico, a urna imprimirá o registro de cada votação. Depois o papel será depositado em um local lacrado, de forma automática, sem que qualquer pessoa possa manuseá-lo. O eleitor poderá visualizar o voto e conferir se o voto impresso corresponde ao dado por ele na urna. Apenas com o consentimento do eleitor o registro impresso cairá no local lacrado. Só então o processo de votação estará concluído. A emenda que obriga a impressão do voto é do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), mas é uma luta antiga de alguns políticos, como o falecido Leonel Brizola.

 

Os trotes continuam

                   Apesar das medidas punitivas para quem ainda passa o trote e da divulgação sobre os malefícios causados pela brincadeira imbecil, eles continuam acontecendo e ainda em larga escala. No mês de Maio, O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) recebeu 44.661 ligações, sendo que 28.064 eram trotes (62,84 %). A informação foi passada pela Coordenadora de Enfermagem do orgão, Tatiana Almeida. Segundo ela, o número de trotes continua acontecendo na mesma proporção, atrapalhando os serviços do SAMU e prejudicando as pessoas que verdadeiramente necessitam do atendimento de urgência.

Os trotes continuam 2

                   Nos cinco primeiros meses do ano, o SAMU recebeu no total 218.871 ligações, sendo que destas 137.031 (62,6%) eram trotes. O mês de Abril superou os demais chegando a alcançar um percentual de 65,22% de trotes. O SAMU tem realizado uma série de ações e atividades em escolas públicas e privadas, para conscientizar crianças e adolescentes sobre as consequências que um trote pode causar para a sociedade. São apresentados vídeos e relatos de socorristas explicando que, enquanto uma linha fica ocupada durante um trote, outro caso real de emergência pode ficar sem atendimento.

Disputa na Procuradoria

                  O atual Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, já formalizou sua candidatura é reeleição, mas agora terá de enfrentar outros três candidatos que também se inscreveram para o cargo. São eles, os subprocuradores-gerais Carlos Frederico Santos, Mário Luiz Bonsaglia e Raquel Elias Ferreira Dodge. A votação acontece no dia 5 de Agosto, coordenada pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), e vai definir uma lista tríplice a ser encaminhada à Presidência da República. Antes acontece um debate entre os candidatos.

Disputa na Procuradoria 2

                   A Presidente Dilma Rousseff não é obrigada a escolher um dos indicados na lista tríplice, mas desde o governo Lula, que a indicação da ANPR é respeitada e o escolhido é o mais votado. Foi assim com Claudio Fonteles (2003), Antonio Fernando de Souza (2005 e 2007), Roberto Gurgel (2009 e 2011). Após a escolha o nome precisa ser submetido à Comissão de Constituição e Justiça e pela aprovação do plenário do Senado. O mandato de Janot termina em 17 de Setembro. Se for reeleito, vai enfrentar a fúria do Congresso, uma vez que ele indiciou 50 políticos, inclusive os presidentes da Câmara Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros, ambos do PMDB.

 

  • Os chineses que gostam de cinema, puderam finalmente ver nas telas um dos maiores sucessos de público do mundo. O filme “Star Wars” (Guerra nas Estrelas) após 38 anos foi exibido pela primeira vez nas telonas naquele país.
  • O sucesso da ficção científica criado pelo mestre George Lucas em 1977, foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Xangai.
  • Os organizadores aproveitaram a liberação e exibiram os seis filme da saga Star Wars, pela primeira vez completa, com a trilogia original (episódios IV, V e VI) e os da trilogia posterior.
  • Na época em que o filme estreou nas telonas de todo o mundo, em 1977, a China acabara de sair de uma década da Revolução Cultural, o que impedia a exibição dos grandes sucessos de Hollywood.
  • A saga de George Lucas, no entanto, já estava disponível na China há bastante tempo, em DVD ou para download, legal ou não.
  • Star Wars marcou, em 1977 o nascimento de um novo gênero de cinema comercial, popular e de massas, do qual também faz parte o diretor Steven Spielberg.