Roberto Baia

17 de junho de 2015

Uma boa notícia

Na manhã de ontem, terça-feira (16), ao tomar conhecimento da divulgação do resultado dos aprovados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o preenchimento das primeiras 30 vagas no curso de Medicina na Universidade Federal de Alagoas (Ufal), sendo 18 para o campus de Arapiraca, a prefeita Célia Rocha enviou mensagens e fez ligações para as famílias dos aprovados.

Dia especial

Em publicação em sua página oficial no facebook, a prefeita Célia fez o seguinte comentário: “Muito feliz! Dia especial que amanheceu com a doce notícia de 18 estudantes arapiraquenses aprovados para o curso Medicina na Ufal no campus de Arapiraca. Parabéns a todos que participaram dessa luta longínqua, aos jovens aprovados e seus familiares!

Novo aumento

Desde ontem, a tarifa do transporte público de Arapiraca foi reajustada de acordo com decisão do Conselho Municipal de Transportes e Trânsito (CMTT), que realizou estudo técnico e deliberou sobre o assunto. 

Reajuste das tarifas

O Decreto nº 2.416, de 11 de junho deste ano, homologa o reajuste das tarifas dos serviços regulares de transportes de passageiros por mototáxi, táxi e ônibus no município de Arapiraca. A prefeita Célia Rocha (PTB) sancionou a nova tarifa na última quinta-feira (11).

Novos valores

Desta forma, a tarifa de ônibus vai passar de R$ 2,00 para R$ 2,20, após mais de um ano sem aumento. A tarifa de táxi vai aumentar de R$ 3,65 para R$ 4,25, depois de mais de dois anos estagnada. Já a tarifa de mototáxi vai ser reajustada de R$ 3,00 para R$ 4,00.

Aprovaram

Durante a reunião do CMTT, os novos reajustes foram submetidos à análise dos representantes da Câmara Temática de Controle Tarifário, composta pela SMTT, 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Procuradoria Geral do Município e Câmara de Vereadores que aprovaram os valores mencionados.

Índices oficiais

De acordo com o coordenador da Câmara Temática e diretor de Transportes da SMTT, Ailton Pereira, os estudos levantados para se chegar as tarifas atuais se basearam nos índices de Preços ao Produtor Amplo (IPPA), Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e nos Produtos Derivados do Petróleo e Álcool, o OL – Óleos e Lubrificantes, conforme dados do Grupo de Integração da Política de Transportes (GEIPOT).

Ainda não liberou

Quatro meses depois que o governo autorizou a liberação de uma ajuda emergencial de R$ 1,5 milhão do Fecoep, a operação Água é Vida, da Defesa Civil Estadual ainda não conseguiu vencer as barreiras da burocracia e aguarda, agora, a homologação do governo nos novos decretos de emergência, renovados pelos municípios do Sertão e Semi árido.

 

Pedido de audiência 

Esse atraso levou a Associação dos Municípios Alagoanos – AMA – a convocar uma reunião com a Defesa Civil Estadual para pedir pressa e agilidade nas ações. O superintendente da Entidade, César Teixeira, também vai protocolar um pedido de audiência para os 38 prefeitos com o governador Renan Filho ainda esta semana.

Insatisfação

A reunião com os prefeitos e coordenadores municipais mostrou a insatisfação com a forma como a execução da operação está sendo encaminhada. Os prefeitos reconhecem a necessidade dos trâmites e da transparência, mas também não aceitam a lentidão dos órgãos estaduais envolvidos no processo

…. Segundo a Defesa Civil a operação está pronta e pode ser executada tão logo os novos decretos sejam homologados. Ela levará água potável a comunidades não abastecidas pelo Exército.

  
… É um paliativo de apenas um mês enquanto os recursos federais para ampliação da operação Pipa e para as adutoras de engate rápido não chegam, disse o coordenador estadual Major Moisés.

… Em algumas cidades o quadro é desolador. Prefeitos estão com investimentos mensais superiores a R$ 100 mil reais para garantir o abastecimento da população, como Pão de Açúcar e São José da Tapera que já acumula um débito de R$ 300 mil com carros Pipa. 

… Cidades como Minador do Negrão, Estrela de Alagoas e Dois Riachos podem entrar em colapso porque até na zona urbana a água não chega mais. Há casos, diz o prefeito Jorge Dantas, que há mais de um ano a zona urbana não recebe água da Casal e sugere que o Ministério Público peça explicações a companhia que é responsável pelo abastecimento.