Flávio Gomes

11 de junho de 2015

Estelionato eleitoral

De Ricardo Noblat, em seu blog: “Flávio Ilha, de O Globo, perguntou ao advogado Carlos Araújo, ex-marido da presidente Dilma Rousseff, e conselheiro informal dela, se o ajuste fiscal era inevitável. Resposta: – Sim. Quem ganhasse a eleição (presidencial do ano passado) teria de fazê-lo, com mais ou menos arrojo, com doses diferentes, mas teria de fazer. – Então a tese de estelionato eleitoral é correta? – insistiu Flávio. – Não diria isso. É que o governo tomou consciência da gravidade da situação durante a campanha eleitoral. E aí, no meio da eleição, não tem como mudar a política econômica. E nem dá para falar em crise, sendo governo, durante uma campanha eleitoral. Então, eu vejo que se tratou de preparar o país para, logo depois da eleição, adotar uma política para sair da crise. Carlos quer que acreditemos que o governo só tomou consciência da ‘gravidade da situação’ durante a campanha. Se de fato foi assim é muito grave. Porque qualquer economista pé rapado sabia muito tempo antes da eleição que a desastrosa política econômica do governo obrigaria o país a passar por um duro ajuste fiscal. Carlos admite que houve estelionato eleitoral quando diz que durante uma campanha eleitoral o governo não pode falar em crise. Pode falar, como Dilma falou, que o país estava uma maravilha, e negar que fosse promover um ajuste fiscal caso se reelegesse. Mas não pode falar em crise. Por negar a crise, pode mentir. Mas a verdade só pode ser anunciada depois de fechadas as urnas, contados os votos, proclamados os resultados. Sei”.

Bem cotado

O deputado federal Cícero Almeida anda animado com o exercício do mandato e, mais ainda, com a possibilidade de voltar à Prefeitura de Maceió. “Pesquisas me dão 300 mil votos para prefeito”, tem repetido. A questão principal, todo mundo sabe, é Almeida conseguir uma legenda para concorrer. Seu PRTB não o autoriza a disputar.

Nó cego

O prefeito de Maragogi, Henrique “Madeira”, deverá se deparar com uma parada dura se for à reeleição. É que há dois pré-candidatos à sua sucessão: o médico Fernando Sérgio Lira, duas vezes prefeito do município, e Gílson Machado, da banda Brucelose. Se os dois se unirem, a situação ficará ainda mais complicada para “Madeira”.

 

Balanço

O presidente da Casal, Clécio Falcão, admitiu a Rogério Costa, na Rádio Gazeta AM, as dificuldades financeiras da empresa, admitindo que em 2016 já possa ter lucro. Elogiou a antiga gestão, dirigida por Álvaro Menezes, e revelou um drama: 30% da população de Maceió não têm acesso a abastecimento d’água pela Casal.

 

Oportuno

Os criminosos trotes telefônicos, que atrapalham SAMU, polícias e bombeiros, serão debatidos hoje, às 9 horas, na Câmara Municipal de Maceió, por iniciativa da vereadora Fátima Santiago (PP). Um dos convidados é Rodrigo Cunha, deputado estadual (PSDB), ex-diretor do Procon e advogado especialista em direito do consumidor.

 

Bronca

No dia 19 de junho a Câmara Municipal debaterá, também em audiência pública, o Plano de Ideologia do Gênero, da Secretaria Municipal de Educação, por proposta do vereador Dudu Ronalsa (PSDB). “Queremos ter todas as informações sobre como a Ideologia de Gênero será tratada nas escolas municipais”, diz o vereador.

 

Agenda

A Associação dos Municípios Alagoanos vai sediar hoje o Encontro de Dirigentes de Vigilância em Saúde Ambiental, concebido pelo Ministério da Saúde, com o apoio da secretaria estadual da Saúde. Temas incluídos na programação para debate: uso racional de agrotóxicos, desastres ambientais e qualidade da água consumida.

Opinião

De Tarso Genro, ex-governador gaúcho e um dos principais quadros do PT: “É preciso reestruturar o sistema tributário, reescalonar as alíquotas de Imposto de Renda, instituir taxação das grandes fortunas e das grandes heranças, para que pelo menos os efeitos da recomposição econômica e da retomada do crescimento sejam distribuídos para toda a sociedade, e que as penas também sejam distribuídas para todos”.

 

*Dilma Rousseff comemora a liberação R$ 200 bilhões à iniciativa privada para “concessões” financiadas com recursos públicos. Na época de FHC tais operações eram chamadas de “privatizações”. Por sinal, muito criticadas pelo PT, então na oposição.

*De hoje a domingo acontece, no estacionamento do Maceió Shopping, a 7ª edição do Festival da Casa Própria, promovido pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas, e a 11ª edição do Feirão da Caixa Econômica Federal.

*A Pinacoteca Universitária, que fica na Praça Sinimbu, Centro, abre hoje, às 20 horas, a exposição “Avulsas Inoportunas”, da artista mineira Alessandra Cunha. A visitação pode ser feita de amanhã até 24 de julho, de segunda a sábado. Acesso livre.

 

*Na Galeria Gamma, na Jatiúca, permanece até 8 de agosto a exposição Circuito I, com obras de artistas locais e de outros Estados: Pedro Moutinho, Aquiles Escobar, Luisa Patury, Francisco Rosa, Reynaldo Gama Júnior, Anny Lemos, Luis Maluf e Vera Gama.

 

*Em Arapiraca, estão abertas, somente até hoje, as inscrições gratuitas para o Concurso de Quadrilhas Juninas Matutas e Estilizadas 2015. O evento acontecerá, a partir da próxima semana, na sede do Sesc local, em parceria com a prefeitura.

*Depois do empate de 1x1 com o Fortaleza, domingo, a diretoria do ASA deu folga ao elenco, que retorna hoje aos treinamentos. O clube somente voltará a jogar pela Série C do Campeonato Brasileiro dia 28, 16 horas, em Arapiraca, contra o Cuiabá. 

 

 “São medidas tomadas sobre o leite derramado”

 Marina Silva

 Ex-senadora, para quem, com o Plano de Concessões de Obras, o governo levou o Brasil ao período pré-industrial