10 de junho de 2015

Acidente de moto e com moto

 

Os acidentes envolvendo motos e seus condutores são frequentes em todos os recantos do País.

Nas capitais, os entregadores de encomendas, os moto taxistas, os moto boys etc. No interior as motos hoje substituem os animais como cavalos, burros, carroças etc.

Com certeza não existe mais volta quanto aos fatos explicados.

Não temos sequer ciclovia para as bicicletas. Nunca teremos vias para as motos.

As motos e seus condutores sempre andam com pressa. Alta velocidade e forma de dirigir agressiva. Só faltam passar por sobre os automóveis! Claro que existem honrosas exceções.

Aqui vem a pergunta: por que as motos tem que andar em alta velocidade e em zig-zag? Como se diz na gíria: costurando tudo? Todas as entregas teriam que ser para ontem? Por que não saíram um dia antes?

Além de tudo existe uma falta de equipamentos de segurança. Capacetes são usados no guidom, na garupa, no cotovelo etc. Quando não usam mesmo, como nas chamadas cinquentinhas. Estas não possuem emplacamento, farol, luz traseira e seus condutores não são habilitados!

Ora, para se usar corretamente uma bicicleta são exigidos equipamentos de segurança como capacete, luvas, farol dianteiro e pisca traseiro, reflexivos nas rodas e em breve irão solicitar carteira de habilitação (acho tudo correto), porém com as cinquentinhas e seus condutores nada!? Realmente, este é o País do jeitinho.

Voltando aos acidentes. Vidas são ceifadas. Vidas são jogadas a uma atividade vegetativa. São jogadas numa cadeira de rodas. Vidas são transformadas de produtivas a dependente de uma ninharia do poder público. A onde iremos chegar? Não sabemos. E o poder público faz de conta.