Edmilson Teixeira

23 de Maio de 2015

Marcha a Brasília

 Prefeitos alagoanos já estão organizados e mobilizados para XVII Marcha a Brasília a partir de segunda-feira que vem. Um dos principais assuntos que serão debatidos é o Pacto Federativo. A Mesa está marcada para quarta-feira, às 9h. O Relator da Comissão, deputado federal André Moura (PSC/SE), que esteve na AMA no início de maio, afirmou que apresentará o esbouço do relatório no Encontro. O texto finalizado da proposta do novo Pacto Federativo deve ser encaminhado para a votação do Congresso Nacional em agosto. O presidente da AMA, Marcelo Beltrão tem sido um incansável defensor da autonomia gerencial dos municípios e definição clara das fontes de financiamentos dos programas criados pelo governo federal. A delegação alagoana marcará presença no evento, com cerca de 60 prefeitos.

 Batalha

 O vereador Tony Medeiros passou o maior vexame no dia de ontem, sobretudo por ser uma parlamentar que tem a obrigação de defender os direitos do município. É que Medeiros é dono de um loteamento, onde estão  sendo construídas casas e vendas de lotes; até aí tudo bem. Só que o vereador estava tocando seu comércio pela contramão da lei. A fiscalização detectou que tudo isso vinha sendo feito, mas  sem as licenças e os projetos exigidos. O loteamento foi embargado e  multado e Tony Medeiros tem 15 dias para regularizar o parcelamento do solo urbano.

 

Matriz do Camaragibe  – educação  

 Terça-feira da semana que vem, a Secretaria Municipal de Educação realiza uma Audiência Pública a partir das 15h na Câmara de Vereadores. O órgão vai apresentar metas e estratégia do Plano Municipal de Educação. Com o tema “Projetando a próxima década” o evento espera contar com o maior número de pessoas possível; é o que prevê a secretária da pasta, Tereza Cristina, quem tem recebido o aval do prefeito Marquinhos, a fim de tocar projetos de inovação para a Educação de Matriz.

 

Matriz do Camaragibe – Saúde

Já a Secretaria Municipal de Saúde tem reunião com seus técnicos marcada para quinta-feira da próxima semana, a partir das 9h no auditório da Câmara de Vereadores. O encontro visa avaliar os indicadores alcançados em 2014 e destacar, sobretudo, a programação de suas atividades que  estão sendo feitas, e outras que serão desenvolvidas ao longo do restante deste ano. A secretária do órgão, Nilza Maria Malta entende que  evento desta natureza, é fundamental para trilhar  num caminho com sucesso, focado nas  ações que estão sendo investidas para  o bem do povo de seu município.  

   

Girau do Ponciano – bronca

Depois de ser bombardeado essa semana com denúncias de seu governo na TV/Gazeta/AL, prefeito Fabinho Aurélio  esclarece nas redes sociais a sua versão: “Sobre a matéria veiculada na TV Gazeta/AL, tenho a esclarecer à população girauense que ao assumir a gestão municipal, me deparei com 66 (sessenta e seis) escolas em estado deplorável, sem a mínima condição de abrigar os alunos, prejudicando o início do ano letivo. Eram escolas sem janelas, cadeiras, fiação elétrica deteriorada, sem vasos sanitários, pias, sistema hidráulico deteriorado, fossas estouradas, enfim”,  argumentou.

Girau do Ponciano – tempo

Disse o prefeito que em razão de já existir um contrato celebrado na gestão anterior, e  de não ter havido tempo hábil para realização de um novo processo licitatório contratou a empresa Colibri para concretizar, em regime de urgência, inúmeros reparos nas devidas escolas, inclusive pintura, de maneira a deixá-las aptas a receber os alunos. “Isso custou cerca de 12mil por escola, totalizando algo em torno de 800mil. Esse serviço foi pago e concluído”, disse.

Girau – reajuste

Justifica o prefeito Fabinho que logo de início, a empresa  Colibri demonstrou através de laudos técnicos, e de novas planilhas, a existência de diversos serviços e etapas de obras que não estavam constando nas planilhas do processo de licitação, além da defasagem dos preços. “Depois da avaliação do setor competente do município, foi verificado de que as alegações da empresa vencedora estavam corretas e que a execução na forma original seria impossível de se realizar pelo valor do contrato, e por isso autorizei a supressão de  cinco escolas. O valor do contrato foi em torno de 300mil por unidade, totalizando 1.500 mi. Houve praticamente a reconstrução dessas escolas, obedecendo um padrão técnico de alta qualidade”.

 

Girau do Ponciano – revolta

“A reportagem infelizmente não tomou conhecimento dos fatos de forma completa, e não levou em consideração os aditivos de prazo que constam no processo de licitação, bem como não separou os valores de cada contrato, passando a informação à população como se tudo fizesse parte de um único contrato. Estou à disposição para prestar à população e às autoridades constituídas todos os esclarecimento que se fizerem necessários” desfechou Fabinho Aurélio.  

Lagoa da Canoa

 O clima de violência que vem atormentando Lagoa da Canoa motivou a população a se reunir em marcha como forma de protesto pelas ruas da cidade na última quinta-feira. Reclamam do estado que apenas dois policiais são os responsáveis pela segurança de um município com cerca de 20 mil habitantes. Os assaltos nas escolas públicas viraram uma rotina na região.

 União dos Palmares

 Apontando as dificuldades financeiras que seu órgão enfrenta este ano em Alagoas, foi que  esta semana o reitor da Uneal , Jairo Campo frisou a paralisação das obras do prédio próprio do Campus V, em União dos Palmares, devido à suspensão dos empenhos pelo governo estadual. Orçado em mais de R$ 7,6 milhões, o projeto começou a ser executado, mas, segundo ele, está paralisado desde fevereiro, por falta de pagamento.