Roberto Baia

21 de Maio de 2015

Corrupção em Traipu

Tranquilo, o vice-prefeito Erasmo dias, que é conhecido por seus munícipes por Erasminho, aguarda como certo o seu retorno à Prefeitura de Traipu e mantém as denúncias contra a prefeita Conceição Tavares, que, segundo ele, cometeu desmandos administrativos e está sendo acusada de desvios de recursos de áreas prioritárias para a população como saúde e educação.

 

Sem autorização

Conceição perdeu o mandato por decisão da Câmara Municipal por ter passado 17 dias nos Estados Unidos sem autorização do Poder Legislativo, o que afronta a Lei em vigor. Ela retornou ao cargo e pode ser afastada novamente a qualquer momento.

“Confiamos na Justiça e o povo de Traipu terá um prefeito que vai trabalhar com honestidade e voltado para ações que garantam a cidadania e o bem estar de todos”, afirma Erasminho.

 

Até o pescoço

“Temos provas e entregamos ao Ministério Público e a Justiça de Alagoas de atos danosos ao patrimônio público perpetrados por essa senhora que tanto mal fez ao nosso município”, disse o vice-prefeito Erasmo dias que pode a retomar o comando da cidade ribeirinha por decisão do Tribunal de Justiça de Alagoas.

 

Apicultura

Cerca de 320 famílias em situação de extrema pobreza de municípios do vale do São Francisco alagoano serão inseridas na Rota do Mel de Alagoas na segunda etapa das ações de inclusão produtiva do Plano Brasil Sem Miséria do Governo Federal. Para isso, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) irá identificar, cadastrar e capacitar as famílias, e também estruturar a produção com a implantação de kits de apicultura. Os recursos são oriundos da Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional.

 

Extração de mel

Juntamente com outros parceiros, a Codevasf prevê instalar unidades de extração de mel que devem gerar trabalho e renda a partir do fortalecimento da cadeia produtiva da apicultura em Alagoas. De acordo com Carla Pinheiro, chefe substituta da Unidade Regional de Desenvolvimento Territorial da Codevasf em Alagoas, esta segunda etapa é uma continuidade das ações realizadas pela Codevasf entre 2013 e 2014.

 

Rota do mel

“A Rota do Mel é uma ação estratégica do Ministério da Integração Nacional para promover o desenvolvimento da cadeia produtiva da apicultura no Brasil. Na primeira etapa das ações desse projeto em Alagoas a Codevasf inseriu produtivamente cerca de 630 famílias em situação de extrema pobreza em municípios alagoanos”, afirma. “Agora, nossa meta é proporcionar a 320 famílias as condições para sua inserção nessa atividade produtiva. Para dar continuidade ao trabalho, contratamos uma equipe de apoio técnico que fará o cadastramento, seleção e capacitação das famílias selecionadas”, acrescenta Carla Pinheiro.

 

 

Medicina no interior

Primeiro a ser implantado no interior do estado de Alagoas, o curso de Medicina proposto pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) foi aprovado pelo Ministério da Educação (MEC), autorizando a graduação em bacharelado com 80 vagas anuais.

 

 

Comemorou

A prefeita de Arapiraca, Célia Rocha, comemorou este marco, que eleva a cidade ainda mais no plano educacional. “Nossos estudantes não precisarão ir para muito longe agora, a fim de cursar Medicina. Isto já é uma realidade para nós, que almejamos um município que daqui a 10 anos será o melhor para se viver e empreender. E, também, para se estudar”, coloca a gestora.

 

Fez doação

Por sua vez, a Prefeitura doou o terreno para a Ufal, ao lado do campus Arapiraca, onde será notabilizado o novo curso. “A chegada dele acarreta também numa melhor qualidade de vida do povo e ainda no sonho de muitos estudantes da região agrestina”, completa.

Junto à cúpula de diretores e reitores da Ufal, Célia Rocha não mediu esforços indo à Brasília, diretamente no MEC, e dialogando com o Congresso Nacional para que este feito se concretizasse.

 

Início das aulas

 

A diretora-acadêmica da Ufal em Arapiraca, Eliane Cavalcanti, explicou que serão ofertadas, inicialmente, 60 vagas para a região – isto porque, das 80 vagas autorizadas, a universidade acordou com o MEC que o processo de expansão se dará em dois momentos.

 

 … “Primeiro, serão ofertadas 60 vagas, mas vamos fazer dois ciclos de entrada, cada um com 30 vagas, começando no segundo semestre deste ano, com início previsto para agosto próximo. As outras 30, no primeiro semestre letivo de 2016”, diz o reitor da Ufal, Eurico Lôbo.

 

…  outras 20 vagas serão ofertadas a partir de 2017-2018, quando a Ufal concluir toda estrutura de pessoal e de laboratórios. “Em 2017-2018, passaremos a ofertar 40 vagas por semestre, completando as 80 vagas anuais”, conclui, enfatizando a importância desta interiorização do curso.

 

… Ele foi autorizado pela Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior, do MEC, com a Portaria 370/2015, publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (19). O ato faz parte da Política Nacional de Expansão das Escolas Médicas das Instituições Federais de Educação Superior, instituída pela Portaria Normativa nº 15, de 2013.