Blog do Dresch

1 de Maio de 2015

Manifestação pelo Dia do Trabalho

                 A Central Única dos Trabalhadores (CUT), realiza nesta sexta feira um ato público para marcar as comemorações pela passagem do Dia do Trabalho A informação é da presidente da CUT, Amélia Fernandes. A concentração acontece na Vila dos Pescadores, em Jaraguá, e segue em caminhada pela orla da Praia da Pajuçara. A nível nacional, o tema proposto pela CUT este ano é “Direitos, Democracia e Combate à Corrupção”. Na oportunidade os manifestantes igualmente estimularão os movimentos populares contra o Projeto de Lei da Terceirização, e como as propostas de cortes dos direitos previdenciários e trabalhistas.

Dia do Trabalhador 2

                   Outros temas que a Central Única levará para as ruas, serão a reforma política, o combate sistemático à corrupção, o fim do financiamento das campanhas eleitorais e a defesa da Petrobrás. “A luta em defesa dos direitos da classe trabalhadora continua e precisa se fortalecer ainda mais, através da nossa unidade e da nossa capacidade de resistência e de organização” afirmou Amélia Fernandes. Ela também chama a atenção dos trabalhadores para os ataques da mídia e para as posições conservadoras do Congresso nacional.

Violência contra animais

                   Agredir ou atentar contra a “integridade física ou mental” de cães e gatos agora é crime. Já a pena para quem matar um animal destes pode ser de 1 a 3 anos de detenção. A proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados e agora vai para apreciação no Senado. Atualmente, a legislação estabelece punição de três meses a um ano para maus tratos, agressões, ou mutilações em algum animal. A pena pode ser aumentada em um terço caso o animal morra. No projeto aprovado agora pela Câmara a punição aumenta para caos de violência praticada contra animais. A pena de três anos prevista para quem mata um animal, pode ser acrescida de um terço, se for cometida com veneno, fogo, asfixia, espancamento, arrastadura, tortura ou outro meio cruel. O texto ressalva, contudo, que não será considerado crime a morte por eutanásia, desde que seja de forma assistida, sem dor e sem sofrimento.  O novo texto também considera crime o abandono de cães e gatos com pena de detenção de 3 meses a um ano. Diz o texto: “entende-se por abandono deixar cão ou gato, de quem detém a propriedade, posse ou guarda, que sob seu cuidado, vigilância ou autoridade, desamparado ou entregue à própria sorte, em vias ou logradouros públicos ou propriedades privadas”. O texto prevê ainda a prisão de 3 a 5 anos para quem promover lutas entre cães, ou para quem expor ao perigo “a vida, saúde e integridade” de cães e gatos.

 

Crise, que crise?

                   O lucro contábil obtido pelo Bradesco no primeiro trimestre deste ano, atingiu R$ 4,244 bilhões, o que representou uma alta de 23,3% ante o mesmo período de 2014. O lucro ajustado, que exclui itens não recorrentes, aumentou 23,1 % e alcançou R$ 4.274 bilhões, O crédito para grandes empresas puxou o aumento da carteira do Bradesco no primeiro trimestre, enquanto que o risco de perdas com “clientes corporativos” provocou um salto nas despesas com provisões. Os empréstimos a grandes empresas subiram, respectivamente 4,6% e 10,4% com destaque para as operações no exterior e financiamento imobiliário.

Crise, que crise? 2

                   Já o Banco Santander Brasil fechou o primeiro trimestre com um lucro liquido consolidado de R$ 1,6 bilhão, o que representou um crescimento de 15,5% sobre o mesmo período do ano passado, excluindo o impacto da despesa com amortização de ágio. Com esse efeito, o lucro líquido foi de R$ 683,8 milhões, com crescimento de 31,9 %. Os empréstimos a grandes clientes foram os protagonistas da área de crédito do Santander no trimestre. A carteira subiu 39,5% em 12 meses, alcançando R$ 110,5 bilhões, ajudado pelo efeito cambial.

Recursos contra Ebola

                   US$ 650 milhões. Este o valor anunciado pelo Banco Mundial (BM) para garantir a sequência da luta contra o Ebola nos três países mais atingidos pelo vírus: Libéria, Guiné e Serra Leoa. A ajuda deve se prolongar por 12 ou 18 meses, com o objetivo de auxiliar estes três países a se recuperar socialmente e economicamente após a crise provocada pelo surto da doença. “A comunidade internacional deve ajudar os países mais atingidos a dar um impulso na sua recuperação e para a construção de um futuro mais próspero e mais seguro para o seu povo” afirmou o presidente do BM, Jim Young Kim.

Recursos contra Ebola 2

                   O valor a ser liberado pelo Banco Mundial esta destinado a fortalecer a agricultura, a educação, os sistemas de saúde e atendimento primário, assim como reforçar a criação de instalações de eletricidade, água e saneamento, de acordo com as linhas politicas de ação estabelecidas pelos três países mais atingidos pelo vírus. Os fundos também serão utilizados para desenvolver um sistema de vigilância da doença na África Ocidental, que ajudará a prevenir ou conter futuras pandemias. Com a nova liberação, o total de fundos comprometidos pelo organismo para fazer frente ao surto do Ebola alcançam a US$ 1,620 bilhão, a maior verba por parte de uma instituição internacional.

 

  • Todo o sistema de comunicação, registro de ocorrências e coletas de dados das forças policiais vão passar a funcionar de forma integrada, segundo a Secretaria de Estado da Defesa Social e Ressocialização.
  • A integração será colocada em prática graças a um convênio firmado com a Secretaria Nacional de Segurança Pública no valor de R$ 2,2 milhões.
  • O sistema passa abrigar os registros dos Boletins de Ocorrência (BO), os Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), inquéritos, atendimentos feitos pela Polícia Militar (190) e Corpo de Bombeiros (193).
  • E ainda integração dos dados da Perícia Criminal com o Instituto de Criminalística e Instituto Médico Legal, além do sistema de Policiamento Comunitário, controle de apreensão e indenização por armas e drogas, Disque Denúncia, serviço de inteligência, Estatística e Análise Criminal e também o Georeferenciamento de ocorrências e recursos.