Flávio Gomes

15 de Abril de 2015

Com Dilma ou sem Dilma?

Do jornalista Luís Nassif: “Domingo participei de uma das rodadas do encontro Jornada para a Democracia. Vários colegas lamentando que nas diretas e na campanha do impeachment o povo foi para as ruas mobilizado por ideais democráticos e, agora, só o preconceito conseguiu esse poder de mobilização. Enalteceu-se o que consideraram o formidável poder de mobilização da direita nas redes sociais. A alternativa então seria mobilizar o arco da esquerda para as bandeiras democráticas. Vamos pensar, então. A chamada direita tem um alvo óbvio para personalizar todos os incômodos: a figura da presidente da República. O bordão ‘culpa da Dilma’ pegou, como pegaram os bordões contra Collor e contra os militares. É o mote que junta os militantes. Obviamente há os grupos oportunistas que se valem da exploração desse sentimento e tentam cavalgar os movimentos. No caso das diretas, um arco amplo de oposição civil, que ia de Tancredo a Lula. No caso de Collor, o arco que foi do PSDB (sem FHC e Serra que tentaram aderir) a Lula e ao PT. No caso de Dilma, à falta de melhor alternativa, o PSDB. Como um movimento de esquerda poderia se contrapor à suposta eficiência dos militantes da nova direita? A esquerda tem um caminhão de queixas contra Dilma. Quem seria o alvo, a personalizar todos os males? FHC? Claro que não. Quem seria o grupo político a galvanizar essa insatisfação? O PT? Evidente que não. Então há de se pensar nas etapas que precedem uma reorganização do chamado campo progressista porque toda mobilização não prescinde de bandeiras claras…”

Realidade

Não se sabe se é por determinação do próprio Renan Calheiros Filho ou por orientação de assessores do governador. Mas o certo é que o governo completou 100 dias e ainda existem cargos relevantes desocupados na estrutura administrativa. Ou é coisa de má gestão ou prova de que tais cargos são desnecessários no organograma do governo.

Novidade

Uma atração na posse do desembargador José Carlos Malta Marques como vice-presidente do TRE foi a presença de Téo Vilela. O ex-governador foi o único político a aparecer por lá. No que foi sua primeira aparição em evento oficial desde a transmissão de cargo para Renan Filho, que foi representado, no TRE, pelo secretário Fábio Farias.

Determinação

O PSDB recomendou aos quatro deputados do partido, Rodrigo Cunha, Bruno Toledo, Gilvan Barros Filho e Edval Gaia, que apoiem o veto parcial do governador para que a 17ª Vara tenha poder irrestrito de investigação. Segundo nota divulgada pela assessoria, a posição do partido foi firmada por todos os integrantes da executiva.

Afinidade

O presidente da Federação das Indústrias de Alagoas, José Carlos Lyra de Andrade, e o deputado estadual Rodrigo Cunha (PSDB) se acertaram em defesa da 17ª Vara Criminal. Ambos defendem o veto do governo às mudanças feitas pela Assembleia Legislativa no projeto. “Não entendemos as posições contrárias a essa mobilização”, disse Lyra.

 

Entendimento

Para o desembargador Tutmés Airan a pena máxima de internação de menor infrator, de três anos, já é uma punição rigorosa, comparando-se com os quatro anos, em média, de condenação cumprida por adultos no Brasil. Foi o que disse a “Conjuntura”, na TV Mar, canal 25 da NET. A entrevista é anunciada para hoje, ao meio-dia, com reprises.

Posição

Professor da USP e presidente da Ordem dos Economistas do Brasil, Manuel Enriquez Garcia esteve em Maceió a convite do Corecon/AL e do Sidcon/AL. E disse que está na hora de se encontrar saída para a Bolsa Família: “O programa teve o seu momento. É importante agora atender aos seus assistidos com emprego e renda”.

Advertência

Ex-ministro de Dilma Rousseff, Moreira Franco (PMDB/RJ) alerta: o menor número de pessoas no protesto de domingo, comparado com 15 de março, não é, necessariamente, boa notícia para o Planalto: “O governo não deve analisar esses protestos aritmeticamente, deve analisar politicamente. É muita gente que está na rua, insatisfeita. Estamos em um ambiente econômico tenso e em um momento político ruim”.

 

 

*Empresários de micro e pequenas empresas de União dos Palmares e Maceió participam, hoje e amanhã, respectivamente, de Seminário de Crédito promovido pelo Sebrae/AL. Os eventos vão contar com a participação de técnicos do BNDES.

*Trabalhadores fazem hoje o Dia Nacional de Paralisação contra o Projeto de Lei  4330, que possibilita a terceirização de atividades-fim, e contra as Medidas Provisórias 664 e 665, que retiram direitos do seguro-desemprego e da pensão por morte.

* O Observatório de Editais da Fundação Municipal de Ação Cultural oferece diversas oportunidades. Três concursos estão com inscrições em cultura popular, fotografia, artes cênicas e música. Até 30 de abril. Contato: observatoriodeeditaisfmac@gmail.com.

* Estão abertas até 14 de maio as inscrições ao XII Prêmio Innovare, a mais importante premiação da Justiça brasileira. Contato: www.premioinnovare.com.br. Este ano serão destacadas práticas que agilizem as ações judiciais que envolvam o Poder Público

* Os cantores Yuri Costa e Lili Buarque recebem jornalistas para um happy hour, hoje, no The Door, a partir das 19h30m. Vão falar sobre seus novos discos, “Amor e Fé” e “Sereno”, respectivamente, que serão lançados dia 26. Contato: 8895.8457.

*Hoje pelo Campeonato Alagoano: 20 horas, em Olho D’Água das Flores, CEO x CSE; 20h30m, no Trapichão, CSA x Santa Rita. Amanhã, 16 horas, em Santana do Ipanema, Ipanema x CRB. O ASA folga nessa rodada do meio de semana.

“O PSDB lançou notas e postou vídeos nas redes sociais convocando o povo para o protesto. Mas ele não deu o ar de sua graça. Os chefes do partido parecem ter medo do povo.”

Ricardo Noblat

Jornalista