Blog do Dresch

10 de Abril de 2015

Prefeito ganha apoio do Ministério

                   O Ministro da Integração nacional, Gilberto Occhi, recebeu esta semana em Brasília o prefeito de Limoeiro de Anadia, Marlan Ferreira (PP) que apresentou uma série de pleitos fundamentais para o desenvolvimento do município. O mais importante deles, a melhoria do sistema de abastecimento de água, já é do conhecimento do Ministro. Existe a necessidade de construção de uma adutora nas nascentes do Povoado Olho D’Água da Pedra, na zona rural de Limoeiro. Quando entrar em funcionamento vai beneficiar a população de diversos povoados próximos e também a uma parte da população urbana.

Ministro atende Limoeiro 2

                   Segundo narrativa do Prefeito Marlan, quando pronta a adutora atenderá as necessidades de abastecimento de água dos povoados Timbó de Cima, Jacaré, Jenipapo, Terra Nova, Tipi e do próprio Olho D’Água da Pedra. O projeto prevê ainda a construção de uma represa, um reservatório para armazenamento de água e uma estação de tratamento. O Ministro Occhi disse que a obra esta na lista de prioridades do Ministério da Integração nacional, faltando apenas sua inclusão no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O trabalho da Polícia Federal

                   As ações da Polícia Federal no ano de 2014 evitaram uma perda estimada em R$ 2,8 bilhões para o Erário. No entanto o cálculo da PF aponta que os crimes praticados chegaram a R$ 6,8 bilhões de prejuízo. Os números foram apresentados pelo Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que disse ainda que foram apreendidos R$ 3,3 bilhões em bens e valores. Foram deflagradas 390 operações, registrando 87 operações a mais que em 2013. Os números tratam de todas as operações da PF, com foco no combate ao desvio de recursos públicos, repressão às drogas e crimes financeiros. O Ministro elogiou os resultados alcançados e defendeu a autonomia da Polícia Federal. Apenas em relação aos crimes financeiros, foram 31 operações. Os desvios de recursos públicos motivaram a deflagração de 54 operações. Atualmente, estão sob investigação contratos que somam R$ 19 bilhões. Esses contratos podem ou não vir a serem caracterizados como desvio de recursos públicos. Esse montante não considera a operação Lava Jato, que é considerada como operação de combate a crimes financeiros. O diretor-geral da PF, Leandro Coimbra, também exaltou os números apresentados e reiterou a linha de trabalho adotada. “A Polícia Federal continuará no combate ao crime organizado, em especial à corrupção, aos crimes financeiros e ao tráfico de drogas. Não vamos parar, nós melhoraremos, ampliaremos nossos armamentos e teremos a sequência desse trabalho com muita seriedade” afirmou Coimbra.

 

Com as cartas marcadas

                   De acordo com levantamento feito por alguns orgãos de imprensa, a Comissão Especial criada pela Câmara dos Deputados para discutir a maioridade penal já tem opinião formada a respeito. Dos 27 integrantes, 20 já defenderam publicamente, em ocasiões diversas, a mudança na Constituição que prevê punições a partir dos 16 anos. O principal argumento defendido pelos parlamentares a favor da mudança é que a medida reduziria a sensação de impunidade e contribua para combater a alta da violência. Já os contrários á redução acham quem o sistema prisional não consegue recuperar os adolescentes e que a medida vai potencializar a criminalidade.

Com as cartas marcadas 2

                   Indicado para presidir a comissão, o deputado André Moura (PSC-SP) defende a redução, e na próxima semana será indicado o relator. No total, 15 deputados da comissão ainda fazem parte da Frente Parlamentar da Segurança, comandada pela chamada “bancada da bala”, como são conhecidos os deputados cujas campanhas são financiadas pelas indústrias fabricantes de armas do país. Quando a comissão foi instalada recebeu o apoio do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) quem também apoia a diminuição da maioridade penal. Na outra frente, as deputadas petistas Maria do Rosário (RS), Erika Kokai (DF) e Margarida Salomão (MG) que são contrárias ao texto e pediram cautela aos demais integrantes.

Com as cartas marcadas 3

                   A comissão terá 3 meses (40 sessões) para fechar o relatório sobre o assunto. O texto final passará por duas votações na Câmara, com pelo menos 60% dos 513 deputados a favor para ser aprovado. Depois seguirá para o Senado, onde será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e depois votada no plenário em duas sessões. Se o texto sofrer algum tipo de modificação no Senado, terá de passar por nova votação na Câmara. Senão, poderá ser promulgada pelas duas Casas.

Placa e chip para 50cc

                   Projeto de Lei aprovado pela Câmara de Maceió, aprovado por unanimidade, estabelece que as motos de baixas cilindradas (as cinquentinhas) serão emplacadas pela Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito e receberão um chip para identificação do veículo e do seu proprietário. As taxas para emplacamento serão reduzidas, o que deverá garantir a regularização da grande maioria destes veículos que circulam na capital e também dificultará o roubo dessas motos e sua utilização para outros delitos.

 

  • O governador Renan Filho garantiu aos representantes do turismo alagoano, em reunião esta semana, que vai manter os compromissos assumidos com o segmento e vai atender as principais demandas do setor.
  • As questões foram discutidas de forma transparente, sendo que as demandas foram divididas de acordo com a especificidade como infraestrutura (saneamento, estradas, sinalização); políticas públicas e tributos; promoção e divulgação, além da qualificação.
  • Um dos assuntos mais debatidos foi a falta de investimentos da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) e suas deficiências, como o sistema de abastecimento de água da orla da capital e o esgotamento sanitário.
  • Para empresários do turismo de algumas regiões (como o Norte, por exemplo) a necessidade maior é a falta de segurança, que tem afastado os turistas em geral.
  • Renan Filho garantiu que Segurança é prioridade para o Estado e que a situação tende a melhorar, e que os números já mostram isso. Falou dos investimentos em equipamentos básicos, como os aeroportos de Maragogi e Arapiraca e garantiu que a Casal terá mais recursos para investimentos.