Flávio Gomes

10 de Abril de 2015

Diagnóstico equivocado

Do cientista político Murillo de Aragão: “… A tentativa de reconstruir a forma de fazer política do PT dos anos 80 e 90 desconsidera a atual conjuntura. Diferentemente da década passada, o partido não tem a mesma capacidade de mobilização nem de ascendência sobre os movimentos sociais e as demais siglas de esquerda. Isso decorre do afastamento natural do PT de sua base original, por conta do exercício do poder. Outro ponto a ser destacado é que a base eleitoral do partido não é mais a mesma. Desde 2006, o voto petista vem majoritariamente de segmentos com menor renda, baixa escolaridade e que habitam nos pequenos municípios. Ou seja, ao contrário dos anos 80 e 90, o partido não desperta mais a simpatia do eleitorado de classe média dos grandes centros urbanos, que saía voluntariamente às ruas para defender os ideais do partido. Outro equívoco é argumentar que a rejeição que passou a sofrer é uma reação limitada à chamada “direita” ou às “elites”. Basta olhar alguns números da última pesquisa CNI/Ibope para constatar que o governo Dilma também é mal avaliado entre os eleitores que votaram no PT na última eleição presidencial. Ao contrário das eleições de 2002, 2006 e 2010, quando o PT saiu das urnas com uma vitória superior a 60% dos votos, agora não há força política suficiente para a legenda apostar numa estratégia de confronto… A conjuntura é tão adversa que nem mesmo o ex-presidente Lula é visto como capaz de liderar uma reação.”

Xô…

De José Thomaz Nonô, presidente do DEM/AL, ao blog de Eliane Aquino, no Cada Minuto, dizendo-se contra a fusão do partido com o PTB: “Eu tenho uma vida dentro do partido, fui para lá porque, antes mesmo de todos, eu já dizia que Lula é o maior ladrão desse país, foi ele quem institucionalizou a corrupção no Brasil, e o Democratas tem sido o único a fazer oposição clara, sistemática, ao PT”.

Bronca

Renan Filho tem mais uma batata quente nas mãos. Consta que o governador está sendo pressionado a fazer o Estado desistir de ações movidas contra delegados precários. É uma questão antiga, de outros governos, que interessa a determinados políticos. Mas que, no entender da defesa que vem sendo feita pelo Estado, esbarra na legalidade.

Restrições

A privatização da Casal é muito mais complexa do que se possa imaginar. Ocorre que o momento econômico não permite que grandes empresas façam investimentos pesados. A norma tem sido cautela. No mais, dados oficiais indicam que a empresa só é viável em Maceió, o que compensa o prejuízo no interior. Privatização parcial não convém.

Decidido

A questão da aquisição de kits escolares, feita na gestão anterior porém não homologada pelo ex-governador Téo Vilela, virou questão fechada para Renan Filho. Ele está convencido de que não é conveniente para o Estado homologar a compra. Tanto porque o material não seria indispensável quanto pelo preço elevado, considerando o mercado.

Agenda

Por proposta da vereadora Tereza Nelma (PSDB), a Câmara Municipal de Maceió realiza hoje, às 9 horas, audiência pública sobre “Políticas de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista”, com a participação de inúmeros especialistas. A psiquiatra Rita Lins fará uma palestra sobre “Do Diagnóstico ao Tratamento”.

“Por fora” 

Paciente do PAM Salgadinho, usuário do SUS, denuncia que um médico lhe cobrou uma taxa para realizar cirurgia em uma paciente portadora de hérnia. Isso não é “privilégio” de usuários do SUS. É comum, também, usuários de planos de saúde pagarem um “a mais” para cirurgias. No caso de cirurgia bariátrica há médico exigindo até R$ 10 mil.

Opinião

Senador Aécio Neves: “A presidente Dilma introduziu algo novo na política brasileira: a renúncia branca. Há hoje um interventor na Economia tocada pelo ministro Joaquim Levy, que pratica tudo o que ela disse que não faria na campanha. Agora delega a coordenação política a seu vice, a quem desprezou em todo seu primeiro mandato.”

 

*O deputado federal Pepe Vargas (PT/RS) é um exemplo acabado de o quanto a subserviência e a ambição pelo poder afetam o ser humano. Humilhado seguidamente pela presidente Dilma, ele, apesar disso, aceitou um cargo de consolação.

*O Departamento de Trânsito comunica aos usuários que os serviços da instituição ficarão fora do ar a partir das 14 horas de hoje, “para manutenção da plataforma para posterior migração”. Só às 8 horas da próxima 2ª feira a situação estará normalizada.

* O Sine da Prefeitura de Maceió estará fechado hoje para atendimento ao público, por conta de obras de manutenção do prédio. Assim como no Detran, o atendimento ao público somente voltará à normalizada na segunda-feira, a partir das 8 horas.

*A Editora da Universidade Federal de Alagoas inaugura hoje, às 16horas, uma unidade no Espaço Cultural Universitário, no Centro de Maceió. Na ocasião, serão lançados nove títulos, sendo seis deles da instituição. É a segunda Extensão da Edufal, uma das prioridades da atual gestão.

 *Visando melhorar a gestão de cooperativas de recicladores e catadores, o Sebrae/Alagoas, por meio de parceria firmada com a Braskem, conclui hoje cursos de capacitação em Cooperativismo e Relacionamento Interpessoal. Os eventos complementam as ações iniciadas em setembro.

* A Orquestra Social Dance é a atração de hoje da happy hour do Sesc Poço, com o seu tradicional repertório de ritmos diversificados. A partir das 19h30m, para comerciários e público em geral. Os preços dos ingressos variam de R$ 6,00 a R$ 15,00. Contato: 0800 284 2440.

*A prática mostrou ter sido bastante acertada a decisão da juíza Esther Manso, determinando que o clássico CRB 1×0 CSA, anteontem, tivesse a presença das duas torcidas. Cabe, agora, se buscar uma providência definitiva contra os baderneiros.

 

“Isso é estúpido, é imoral, é inconciliável com a história do DEM”

José Thomaz Nonô

Ex-deputado, ex-vice-governador e presidente do DEM/AL, refutando a fusão do seu partido com o PTB, em declaração ao blog do jornalista Ricardo Mota, no Cada Minuto