Flávio Gomes

8 de Abril de 2015

“Governo de merda”

De Edson Vidigal, ex-presidente do Supremo Tribunal de Justiça, no site “Diário do Poder”: “Ao inspirar ânimo na militância incitando-a a defender o Governo da Dilma, o Presidente nacional do PT evocou um fato histórico ocorrido no Chile quando começaram os protestos que culminaram com a deposição do Presidente Allende – ‘É um Governo de merda, mas é o meu Governo’. Para neutralizar certamente eventuais patrulhamentos, o Presidente nacional do PT esclareceu que o argumento foi disseminado pelas esquerdas ao defenderem o mandato do primeiro Presidente eleito por uma forte coligação de comunistas e socialistas e logo aditou – ‘O Governo (o da Dilma) não é de merda, mas é o nosso Governo, e temos de defendê-lo’. Mas por que tamanho cuidado para que o lema tão transparente, sem subterfúgios, dos camaradas chilenos não soasse no Brasil destes tempos de agora como repeteco do que por lá, afinal, acabou mal, muito mal? Por cá todos sabemos que merda no teatro, por exemplo, é uma palavra com sentido da maior seriedade. Dir-se-ia sagrada. Na estreia da peça, e só vale na estreia, um ator ou atriz não pode desejar boa sorte ao colega que entra em cena porque isso por mil razões dá é azar. Então lhe deseja merda. Não pode haver retribuição com a intensidade do mesmo afeto porque isso também, ao que se acredita, dá muito azar… Tem razão o Presidente nacional do PT. O Governo não é de merda, não. Mas pelos índices de rejeição, não obstante, este não é o Governo da maioria absoluta do povo brasileiro…”

Show

O governador demonstrou profundo conhecimento da realidade do Estado no encontro de ontem com representantes do trade turístico. Quem não conhecia Renan Filho acabou surpreendido com seu jeito fácil e objetivo de falar, além do conteúdo das informações. E, mais que tudo, assumiu compromissos apenas em questões viáveis.

Aperto

No que diz respeito à infraestrutura indispensável ao desenvolvimento turístico do Litoral Norte, Renan Filho revelou que na próxima semana irá a Brasília buscar apoio para investimentos em energia elétrica. Explicou que a Eletrobras Alagoas está em dificuldades financeiras, ao ponto de não poder pagar o ICMS do mês de março.

Colhendo

Desde ontem, quando ouviu lideranças do turismo, no Hotel Ritz, Renan Filho está recebendo sugestões e debatendo propostas para o Plano Plurianual (PPA) 2016-2019. Hoje será a vez de conversar com o segmento do comércio, na Associação Comercial de Maceió. E amanhã será a vez do setor industrial, na Federação das Indústrias.

Acerto

Demorou, mas o prefeito Rui Palmeira agiu acertadamente na forma de limpar de ambulantes os calçadões do Centro. Ao invés de avisar com antecedência a operação, dando data, horário e modus operandi, dessa vez a prefeitura fez parceria com a Polícia Militar e chegou de surpresa, quando a maioria dos camelôs ainda não havia se instalado.

Descaso

Cada um alegou seus motivos, mas o fato de oito dos 12 integrantes da bancada federal de Alagoas no Congresso Nacional terem faltado à primeira reunião convocada pelo coordenador, deputado Ronaldo Lessa, demonstra desinteresse. Além de Lessa, só compareceram seus colegas Max Beltrão, Paulão e Cícero Almeida. Nenhum senador apareceu.

Direto

O empresário José Carlos Lyra de Andrade, presidente da FIEA, foi bastante sincero, no programa “Conjuntura”, na TV Mar, canal 25 da NET. Ele disse que é hipocrisia não admitir que campanhas políticas no Brasil, em qualquer nível, são bancadas por empresários. O programa está anunciado para hoje, ao meio-dia, com reprises.

Opinião

Erick Wilson Pereira, constitucionalista da PUC/SP: “Reformas políticas efetivas passam pelo diálogo e acordos estabelecidos entre partidos, organizações da sociedade civil e representações políticas. Tais aspectos parcialmente explicam as dificuldades que até hoje enfrentamos para realizar uma reforma política estruturante e abrangente.” 

 

*Desde o governo Lula o Brasil desandou a dar a fundo perdido ou emprestar dinheiro a outros países, normalmente ditaduras. Agora, a situação se inverte: o Brasil tomou emprestados US$ 3,5 bilhões do Banco de Desenvolvimento da China. A fonte secou?

* O Prêmio Braskem de Jornalismo Saúde e Segurança no Trabalho (SST) bateu recorde de inscrição na edição deste ano, superando em 42% o número de trabalhos de 2014. O julgamento final será no dia 24 deste mês, véspera da festa de premiação, no Armazém Uzina.

* Pela primeira edição do projeto “Livro Aberto”, acontece hoje, 16 horas, na Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos, na Praça Pedro II, Centro, palestra abrindo o programa sobre a obra de Emily Dickinson, poetisa americana. A mediadora será Ana Karina Luna.

*O livro “Tartamudeios”, livro de estreia do autor Marcus Vinícius, será lançado hoje, 20 horas, no Restaurante Fidel. A obra é uma das 11 selecionadas pelo Programa de Incentivo à Cultura Literária de 2014, da Imprensa Oficial Graciliano Ramos.

*Técnico, dirigentes, jogadores e torcedores do CSA se queixam da arbitragem na derrota de 2×1 para o CRB, principalmente pela expulsão de Anderson Paraíba. Mas a própria diretoria admite que ele errou ao chutar o goleiro Júlio César. Até o multou.

*Fazer do tradicional CSA x CRB jogo de uma torcida só é admitir a vitória de vagabundos que se dizem torcedores e vão ao estádio brigar, usar droga ou as duas coisas juntas. Mais que isso, é o fracasso das noções de cidadania e de autoridade.

*Apesar dos pesares, hoje tem nova rodada do Campeonato Alagoano: CSA x CRB, às 22 horas, no Trapichão; CEO x ASA, 20 horas, em Olho D’Água das Flores; Coruripe x CSE, 20h30m, em Coruripe. Amanhã às 16 horas, tem Ipanema x Murici, em Santana do Ipanema.

“A lógica no serviço público está invertida. O critério é o exercício do pequeno poder e não atender o contribuinte e a população”

Kátia Abreu

Ministra da Agricultura e empresária, ao defender a necessidade de uma profunda reforma administrativa