Blog do Dresch

3 de Abril de 2015

Ampliação das Bases Comunitárias

                   O projeto das Bases Comunitárias para atender as comunidades de alto risco de criminalidade, tem sido uma aposta do Secretário de defesa Social e Ressocialização, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto. E cada vez mais fortalecida. Agora Alagoas esta ganhando seis micro-ônibus devidamente adaptados para funcionarem como bases comunitárias, a princípio da capital. Além disso, já existe a promessa do governador Renan Filho que outras oito bases fixas serão construídas, inclusive beneficiando comunidades do interior.

Bases comunitárias 2

                   Cada base móvel é equipada com retroprojetor, televisor, computador com internet, impressora a laser, mesa de reunião, notebook, copa completa, inclusive com microondas, além de ventiladores e tendas. Essas bases contarão ainda com apoio de uma viatura e duas motocicletas, que garantirão o atendimento ás famílias residentes em áreas com altos índices de criminalidade. A princípio as bases móveis vão atender comunidades nos bairros do Jacintinho, Vergel do Lago (Virgem dos Pobres) e Bom Parto, além dos conjuntos Cidade Sorriso, Cidade Universitária e Santos Dumont.

Busca por energia limpa

                   O planeta tem necessidade de buscar energias limpas, como forma de preservá-lo. Em 2014 os investimentos globais aumentaram 17%, chegando a US$ 270 bilhões, contra US$ 232 bilhões investidos em 2013. Os dados são de um relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). Esse aumento foi puxado pela expansão das instalações solares na China e no Japão e dos projetos eólicos em alto mar na Europa. O Brasil figura entre os dez países que mais investiu no setor. De acordo com o diretor-executivo do Pnuma, Achim Steiner, estas tecnologias de energia limpa são indispensáveis e sua importância global vai aumentar a medida em que o mercado amadurecer, os preços continuarem a cair e a necessidade de controlar as missões de carbono se tornar mais urgente. Ainda segundo o relatório, a China foi de longe a maior investidora em energia renovável no ano passado, um recorde de US$ 83 bilhões (aumento de 40% em relação a 2013). Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar com US$ 38,8 bilhões em investimentos (aumento de 7%) e em terceiro o Japão com US$ 35 bilhões e um crescimento de 10%. O Brasil chegou a investir US$ 7,6 bilhões. Energias solar, eólica, de resíduos e outras fontes renováveis foram responsáveis por gerar 9,1% da eletricidade global, contra 8,5% em 2013. Como em anos anteriores, o mercado em 2014 foi dominado por investimentos recordes em energia solar e eólica, que representaram 92% do total de energias renováveis.

 

Maravilhosa e congestionada

                   Em uma lista de 146 grandes cidades do mundo, o Rio de Janeiro ocupa o terceiro posto de cidade mais congestionada, quando analisado o trânsito o dia inteiro. A capital fluminense fica atrás somente de Istambul, na Turquia e da cidade do México, segundo um novo estudo da empresa holandesa de tecnologia de transporte TomTom. No levantamento o Rio apresentou também o pior trânsito na hora do “rush” do final da tarde no mundo em 2014. Este é considerado o pior horário para o trânsito em todo o mundo.

Maravilhosa e congestionada 2

                   No Brasil foram analisados dados de nove cidades: Rio, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Curitiba. No horário de pico da tarde, o Rio fica atrás de Recife, que teve o sexto pior resultado do mundo, em um ranking também liderado por Istambul. No rush da manhã, o pior dia é a terça feira, e no horário da tarde a sexta feira é imbatível. A lista das dez cidades com pior trânsito em 2014 ficou assim: Istambul (Turquia), Cidade do México (México), Rio de Janeiro (Brasil), Moscou (Rússia), Salvador (Brasil), Recife (Brasil), São Petersburgo (Rússia), Bucareste (Romênia), Varsóvia (Polônia) e Los Angeles (Estados Unidos).

Consumidor mais exigente

                   O processo de adquirir produtos ou serviços em sites de compras coletivas esta conscientizando o consumidor brasileiro. A compra esta deixando de ser por impulso e as condições estão sendo mais bem avaliadas. Esse é o resultado de uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção de Crédito (SPC Brasil) sobre hábitos de compra pela internet. A pesquisa foi feita em todas as capitais do país, com 662 pessoas maiores de idades, de ambos os sexos e de todas as classes sociais. Desses 47% dos consumidores diminuíram a frequência do consumo, 42% adquiriram produtos e serviços e 61% fizeram ao menos uma compra a cada seis meses.

Consumidor mais exigente 2

                   O melhor momento das compras coletivas aconteceu em 2010 e 2011, quando as pessoas passaram a comprar tudo o que era ofertado. Com o tempo, viu-se que um terço dos cupons não era utilizado por diversos motivos, especialmente porque o regulamento não era lido com atenção. Outras reclamavam com a qualidade do serviço ofertado e outros não se programavam para usufruir do produto no dia e horário certo para isso. Atualmente os consumidores entram nos sites, acompanham as promoções e somente adquirem algum produto, caso estejam verdadeiramente necessitando desses serviços ou produtos.

 

 

  • A ocupação hoteleira em Alagoas neste feriadão da Semana Santa vai ficar acima das estimativas iniciais feitas pela Associação Brasileira da Indústria de Hoteis no estado (ABIH-AL).
  • A previsão inicial era para uma média de 67% de ocupação dos leitos, incluindo aí praticamente todo o setor (hotéis, pousadas, hostels etc.). Mas este percentual já foi ultrapassado, segundo dados mais atualizados.
  • Em alguns meios de hospedagem, de categorias quatro e cinco estrelas, além de resorts, a ocupação praticamente alcançou os 100%, uma vez que desde quarta feira (1) é praticamente impossível conseguir vagas.
  • A ABIH de Alagoas também vê com otimismo a ocupação na região norte do Estado, especialmente Maragogi e Japaratinga e também na chamada Rota de Charme, com pousadas reconhecidas internacionalmente.
  • A principio os números de leitos ocupados no setor turístico da região norte superam os 80%, podendo alcançar os 90%.