30 de Março de 2015

Errar é humano permanecer no erro…

 

Ditado popular que ouvi muito de meus professores e familiares. Hoje não causa tanta repercussão.

Quando alguém é candidato a algum cargo seja ele público ou privado apresenta sua formação e experiência. Na politica contrata-se um profissional de marketing (hoje chamado de marqueteiro) e se entrega a ele de corpo e alma! Vendem até a alma!

Estamos no Brasil diante de uma grande encruzilhada. Presidente e seu partido não sabem onde estão, para onde vão e com quem querem seguir.

Tudo o que foi dito e repetido durante a campanha foi esquecido. Foi só usado para a reeleição. Diante da catástrofe real está fazendo tudo o contrário. E o pior. Querem que a população de menor poder aquisitivo e os aposentados paguem a conta que o partido e a presidente fizeram!

Em País sério o que o dirigente maior faria? Iria a uma rede de rádio e televisão e faria a mea culpa. Ou seja, diria à população que infelizmente passou quatro anos surda, sem ouvir a maioria da população dizer que estava errada. Agora pede encarecidamente a todos os brasileiros que  conceda seis meses de trégua para que  possa corrigir tudo que fez de errado.

Vamos dar um empurrãozinho.

Trocar o cabelereiro e maquiador. Todas as mulheres quando aperta o cinto fazem a maquiagem em casa. Diminuir os quarenta ministérios para a metade, ou seja, vinte ministros. Todos os vinte, técnicos de comprovada capacidade profissional. Seja de que partido politico. Cortar todos os cartões de crédito corporativos. Cobrar até o último centavo os empréstimos “dados” a Cuba, Venezuela, Bolívia e mais a quem. Não somos doadores, pois os nossos irmãos principalmente nordestinos e nortistas estão necessitando muito mais do que qualquer um!

Condenar veementemente as ditaduras. Seja ela de direita ou esquerda no mundo a fora. Começando por Cuba (onde já se viu irmão passar o comando do governo para o outro irmão?), Venezuela que ninguém pode falar nada que desagrade que vai preso. Guiné equatorial. E assim por diante.

Chamar dez notáveis professores do País para a partidariamente fazerem um programa de desenvolvimento sustentável em todos os níveis para curto, médio e longo prazo. Calcado pura e simplesmente na técnica de que usando o bom senso e os recursos corretamente o Brasil será o grande País que já é no tamanho. Usar o oceano, os rios e as ferrovias para o transporte de produtos.

Realizar uma reforma politica de cabo a rabo. Iniciando por cortar o subsídio dos partidos. Nenhum dinheiro público para partidos ou candidatos. Se quiserem terão que ir aos bancos privados (nunca aos bancos públicos) pegar seus empréstimos tanto para partidos como para candidatos. Terão que se submeter a todos os juros e correções que o brasileiro normal se submete. Não a doações de campanha principalmente de empresas, muito menos de pessoa física. Não existe almoço de graça. Quem doa vai querer o dinheiro de volta com juros e correção monetária.

Não a reeleição! Aumentar de quatro para cinco anos os mandatos do presidente da república, governadores e prefeitos. Os vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores só poderão se reeleger por mais um mandato. Podendo galgar de vereador a deputado estadual, federal, senador, prefeito, governador e presidente. Não necessariamente nesta ordem.

Presidente de estatal etc. será preferencialmente funcionário de carreia havendo eleição dentro da empresa. Não havendo quadro capacitado fazer concurso público honesto e preencher o mesmo.

Saúde, educação e segurança se fazem com planejamento de curto, médio e longo prazo criando imediatamente um plano de cargo e carreira e colocando salários compatíveis com os exercícios dos cargos, se assemelhando ao judiciário.

Todos os envolvidos em falcatrua no serviço público terão direito de ampla defesa. Sendo condenados não poderão ter foro privilegiado, pois estarão roubando a coisa pública, um bem de todos os brasileiros!